Postado por : Shadow Feb 16, 2018

Teste de admissão


Ruby e Sapphire sentiam seus ouvidos arder com o barulho incessante das buzinas dos carros que congestionavam o trânsito do centro da cidade. Para Camila, aquele choque de realidade era menor, pois sua cidade natal, apesar de ser de médio porte, era movimentada em função do porto que tornava o local uma importante rota comercial. Aquele era quase um mundo diferente para os viajantes. Jamais haviam se deparado com uma cidade tão imensa, mas ao mesmo tempo que estavam espantados seus olhares eram de quem estava maravilhado com a cena.

Rustboro era a capital e maior cidade de Hoenn, mas certamente não tomava o termo "selva de concreto" para si. As ruas eram ornamentadas, as construções exuberantes e bem elaboradas com um estilo arquitetônico que só se via por ali, as pessoas saindo das lojas contentes, com inúmeras sacolas de compras nas mãos. Além de tudo isso, praças com monumentos históricos, teatros e anfiteatros, bibliotecas, museus e a imponente Academia Pokémon, uma escola de treinadores das mais renomadas do mundo. A cidade explodia cultura para qualquer lado que se olhasse, e imediatamente injetava na mente de Ruby e Sapphire a sensação de querer ficar lá para sempre.

— Vocês precisam ver é como isso aqui fica à noite! — disse um senhor de idade enquanto passava pelo trio, o que os deixou imaginando como idosos tinham mais facilidade para puxar assunto com qualquer pessoa.

— Ele provavelmente percebeu que não somos daqui... — observou Ruby, fazendo Sapphire cair na risada.

— Acho que ficou muito na cara mesmo. Estamos aqui como um bando de patetas só olhando pra todos os lados sem fazer nada.

— E então... — interrompeu Camila. — Não é melhor fazermos o check-in no Centro Pokémon logo?

O trio caminhou até o local, onde fizeram as reservas de quartos para que tivessem hospedagem durante toda a estadia na cidade. Camila aproveitou para realizar sua inscrição como competidora da Batalha da Fronteira, recebendo um guia melhor elaborado, com as informações a respeito das localizações de cada instalação, juntamente de uma espécie de cartão eletrônico para ser usado como um identificador da participante.

Passado algum tempo, por volta de uma hora, os três já tinham se estabelecido no quarto reservado, e por isso ficaram mais à vontade para voltar às ruas de Rustboro. Com mais calma podiam observar a beleza da cidade, ou pelo menos aquela área central onde se encontravam naquele momento. Sapphire então decidiu desdobrar um pedaço de papel que estava guardado em um de seus bolsos. Era um pequeno mapa da cidade que havia conseguido no Centro Pokémon, e poderia usá-lo para localizar o ginásio com mais facilidade. Queria logo marcar o seu primeiro desafio.

E assim ela seguiu pelas ruas, com Ruby e Camila andando logo atrás. Depois de alguns quarteirões, finalmente se deparou com o seu destino. Uma construção bem maior que as casas ao redor, porém com altura menor que os edifícios espalhados pelos quarteirões da cidade. Sua fachada se assemelhava a um museu, e de fato funcionava como tal, segundo informações que Sapphire lia no mapa que usava.


Sem hesitar, ela caminhou até a entrada do local, que era protegida por um porteiro e alguns seguranças que rondavam o pátio principal. O porteiro carregava consigo uma expressão cansada, enquanto lia um jornal sem sequer perceber a aproximação dos visitantes. 

— Oi, com licença... — Sapphire se colocou na ponta dos pés e acenou o braço levantado para ser percebida pelo homem, que estava no alto de uma guarita. 

— Não estamos recebendo visitas hoje — disse o porteiro, em tom seco. 

— Estou aqui para desafiar o líder do ginásio. Sou uma treinadora. 

O porteiro então abaixou o jornal para, enfim, fazer contato visual com os três. Ao olhar a cara de Sapphire ele arqueou uma das sobrancelhas, e com um tom de sarcasmo tratou de dar fim às pretensões da menina. 

— Que bonitinha. Você por acaso já realizou o teste de admissão? 

— Teste de admissão? 

— Sim, menininha. Roxanne só recebe desafiantes que passam em um processo seletivo realizado duas vezes por mês na Academia Pokémon. É um teste de conhecimentos básicos para treinadores que seleciona aqueles que têm o mínimo de preparo para enfrentar um líder de ginásio. Sabe como é, não podemos deixar qualquer um entrar aqui para batalhar. Quando era permitido, alguns saíam traumatizados... 

Sapphire engoliu seco ao ouvir a última frase. Ouvia muitas histórias de jovens treinadores sendo liquidados ao enfrentar o ginásio de Rustboro, mas sempre imaginou que fossem boatos. Logo em seguida pensou que o porteiro estivesse querendo lhe intimidar, e tentou relaxar. Porém, logo a enorme porta da frente se abriu, revelando uma mulher de cabelos castanhos que caminhava em direção à rua. Seus traços eram de uma moça jovem e seu olhar demonstrava que era uma pessoa séria, assim como as roupas que vestia, que eram parecidas com as de uma professora. Ela parou por um momento para falar com o porteiro.

— Estou indo.

— Claro, senhorita — cumprimentou o porteiro. — Tenha um ótimo dia. Espero vê-la novamente em breve.

A mulher já se preparava para virar as costas, porém notou a presença dos três jovens no local, e se deixou levar pela curiosidade.

— Vocês seriam desafiantes para o ginásio?

— Na verdade apenas eu — respondeu Sapphire, que logo apontou para o porteiro. — Mas ele me disse que é necessário prestar um exame de admissão antes.

— Sim, é verdade. Você deve ir até a recepção da Academia Pokémon, que fica a três quarteirões daqui, e lá fazer a inscrição para prestar a avaliação. Estou indo para lá agora, inclusive, para finalizar a preparação da prova.

O silêncio permaneceu no local. Os três ficaram surpresos com a coincidência de estarem de frente para uma das responsáveis por formular o exame que Sapphire teria que prestar.

— Só um momento — Ruby decidiu quebrar o silêncio. — Você então trabalha diretamente para o ginásio, e não só para o museu? Você tem contato com a tal líder Roxanne que esse homem citou?

A mulher não conseguiu conter um leve riso. Ela olhou para cada um dos três, ainda sorrindo, e respondeu prontamente.

— Sim, eu tenho. Se quiserem eu posso levá-los até a Academia para fazerem a inscrição. Podem pegar uma carona comigo.

Sendo assim os quatro entraram em um belo carro preto, que possuía um motorista particular ao volante. A mulher sentou-se no banco da frente, deixando os três sentados juntos na parte de trás do veículo. Assim que todos colocaram os cintos de segurança, o carro partiu a caminho da Academia. Enquanto as ruas se passavam no curto trajeto, Sapphire então resolveu matar sua curiosidade.

— Com licença — disse se dirigindo à mulher. — Que tipo de líder é a Roxanne?

A moça então parou por um momento, procurando palavras que pudessem descrever a futura rival da menina.

— O que posso dizer sobre a Roxanne é que ela é o tipo de pessoa que leva muito a sério tudo o que faz. Ela só permite passar por seus desafios aqueles que ela realmente tem a certeza de que aprenderam o que é importante. Seja como professora ou como líder de ginásio. Ela tende a admirar os desafiantes fortes, e também sabe reconhecer um treinador com potencial. Me diga, qual o seu nome?

— Me chamo Sapphire, e venho da cidade de Littleroot.

A mulher pareceu surpresa ao ouvir aquilo. Ela então virou-se para Sapphire com um olhar curioso.

— Você por acaso é filha do Professor Birch?

— Sim, eu sou — a menina riu levemente, enquanto coçava a parte de trás da cabeça. — Mas não posso afirmar que puxei esse lado intelectual dele. Eu gosto mais do ar livre do que ficar trancada em casa com livros. Mas consegui aprender algumas coisas ajudando meu pai com algumas pesquisas de campo.

— Entendo — a mulher agora esboçava um sorriso evidente. — Nesse caso, existe uma grande chance da Roxanne acabar gostando de você.

Após alguns minutos o carro parou bem em frente a Academia. Era uma construção bem diferente dos padrões de Rustboro. As paredes de concreto com formas clássicas esculpidas agora davam espaço à modernidade, tudo com um toque contemporâneo. A mulher parecia se divertir com as expressões de espanto de Sapphire, Ruby e Camila, que mal podiam acreditar que um prédio daqueles fora construído no tempo em que viviam.


— Chegamos. Esta é a Academia Pokémon de Rustboro, que tem como foco auxiliar a formação de grandes treinadores, criadores e pesquisadores Pokémon — dizia ao sair do carro junto com os três acompanhantes. — Sapphire, você poderá realizar a inscrição na recepção mesmo. Haverá uma pessoa para atendê-la com relação ao exame.

— Certo, vou agora mesmo.

— E vocês dois? — agora a mulher virou-se para Camila e Ruby. — Não pretendem fazer o exame também?

— Estamos apenas acompanhando a Sapphire. Eu sou coordenador — disse Ruby.

— E eu sou uma treinadora, mas não pretendo disputar a Liga esse ano — complementou Camila. — Vim para Hoenn por causa da Batalha da Fronteira.

— Entendo. Mesmo assim eu sugiro que façam a prova, só para testar seus conhecimentos mesmo. Vocês podem acabar aprendendo coisas importantes para o futuro.

Camila e Ruby trocaram olhares rapidamente, e depois pareceram concordar com a ideia.

— Nesse caso acho que vamos fazer a prova sim. Obrigado pela sugestão — disse Ruby sorrindo.

— Certo. Bom, eu tenho que ir agora. Estou indo para uma reunião. A prova será daqui a dois dias, mas como se trata de conhecimentos básicos vocês não deverão ter muito trabalho para se preparar. Desejo-lhes boa sorte, especialmente para você, Sapphire. Estarei no aguardo para ver suas habilidades quando for desafiar o ginásio.

A misteriosa mulher enfim entrou no local, enquanto o trio permaneceu no pátio principal encarando o prédio. Dos três, Sapphire era a quem parecia estar mais distante. Sua mente trabalhava a todo vapor com os mais variados pensamentos do que poderia acontecer a partir do momento em que ela cruzasse a porta de entrada. Era chegada a hora, logo a frente estava seu primeiro desafio para ingressar de vez na vida que ela mesma escolheu. Não podia voltar atrás.

A menina cerrou os punhos, e após uma respiração profunda começou a caminhar até a Academia. Ao passar pela entrada, acompanhada de Ruby e Camila, Sapphire andou até o balcão de recepção do lugar. O funcionário que os atendeu foi buscar os formulários para que eles preenchessem com as informações necessárias para a inscrição do exame. Ao final do processo, eles receberam um documento de comprovação, para ser exibido no exame, que seria realizado em dois dias a partir daquele momento, provando que eles eram candidatos.

Os três então saíram do prédio da Academia, e caminharam de volta à rua. Cada um guardou seu comprovante em suas respectivas mochilas, para que não houvesse o risco dos mesmos se perderem no caminho de volta ao Centro Pokémon.

— Acho que deveríamos estudar para nos prepararmos, não é? — Camila sugeriu.

— Sim! — Sapphire respondeu prontamente. — Eu não posso falhar nesse exame de maneira alguma!

• • •

Birch estava sentado em uma das mesas de seu laboratório, lendo um dos relatórios daquela semana entregues por um de seus assistentes. Ele já estava desligado do mundo exterior, quando foi despertado pelo som de batidas na porta. Ao abrir, surpreendeu-se ao dar de cara com Norman, que estava de passagem por Littleroot.

— Posso entrar? — perguntou o líder.

— Claro, à vontade! — Birch respondeu enquanto abria a porta para que o amigo pudesse passar.

— Resolvi aproveitar para ver um velho amigo. Como estão as coisas aqui no laboratório?

— Estão bem mais tranquilas depois que a Sapphire partiu, mas ela realmente faz falta — disse o pesquisador rindo. — Ela era muito útil com as pesquisas de campo, e pude avançar em várias teses por conta dela.

Norman caminhou até o sofá que ficava de frente para onde Birch estava sentado, e lá se acomodou. Parecia estar um pouco cansado, mas nada que um dia de folga não pudesse resolver.

— A minha casa também está um pouco estranha sem o Ruby. Às vezes consigo ouvir a voz dele me dizendo que algo lá está desorganizado. Essas crianças não nos deixam em paz nem quando estão longe. Onde será que eles estão agora?

— Dado o tempo que eles partiram, é possível que já estejam próximos a Rustboro, mas não tenho certeza. Tudo depende se o ritmo deles é mais rápido ou devagar.

A conversa parou por um momento, com os dois olhando fixamente para a parede. Estavam pensando no que o futuro poderia reservar para seus filhos, até que Norman quebrou o silêncio.

— Acha que eles podem chegar longe? — perguntou.

— Potencial eles têm, mas tudo vai depender da dedicação e do compromisso deles. Por mais talentosos que possam ser, eles não podem passar a vida toda achando que estão em um jogo de videogame ou algo do tipo. Mas eu acredito que eles já possuam essa mentalidade.

— Mudando de assunto, o que acha de passar lá em casa na sexta da semana que vem? — disse Norman. — Vamos assistir juntos o desafio do novo campeão da Liga contra a Elite. 

— Já que me convidou eu aceito. Estou precisando dar um descanso, tenho trabalhado sem parar nas últimas semanas. Ainda tenho que orientar alguns treinadores novos que estão chegando para buscar o primeiro Pokémon. 

— Fique tranquilo, lá em casa você poderá relaxar. Vou comprar algumas cervejas e deixá-las guardadas então. 

— Por favor, eu ia justamente pedir isso — Birch caiu na risada, em seguida tirando dinheiro do bolso e entregando a Norman. — Aqui está a minha parte. Se você vai me receber na sua casa, então me deixa pelo menos pagar uma parte. 

Norman aceitou o dinheiro, mesmo estando sem jeito, e logo tratou de se despedir do pesquisador. 

— Bem, eu preciso voltar para Petalburg. Não posso largar o ginásio por muito tempo, e também não quero atrapalhar o seu trabalho. Te espero na sexta então. Leve Cecilia. Helena tem trabalhado demais nos projetos dela. Tenho certeza de que vai adorar a visita. 

— Pode deixar — disse Birch ainda sentado, enquanto acenava para o amigo que partia. 

Após a saída de Norman, Birch ficou sentado por mais um tempo refletindo. 

— O desafio da Elite... Aquele garoto que venceu a última Liga é incrível. Será que algum dia a Sapphire conseguirá chegar tão longe?

• • •

Após dois dias se preparando para o exame Sapphire, Camila e Ruby chegam à Academia Pokémon. Era chegada a hora de colocar seus conhecimentos a prova, especialmente a primeira, que estava lá por precisar passar naquele teste para ter o direito de enfrentar Roxanne. 

Quando todos os candidatos estavam na sala esperando a prova começar, um dos instrutores chamou a atenção de todos para que pudesse explicar alguns detalhes do processo.

— Inicialmente eu gostaria de dar as boas vindas a todos os candidatos, e desde já os parabenizo pela iniciativa de tentar enfrentar o ginásio de Rustboro. O exame terá três horas de duração, e todas as questões são de múltipla escolha. O tema do exame, como já informado, é um conjunto de conhecimentos básicos essenciais para um treinador. Não podemos permitir que alguém vá disputar a Liga Pokémon sem saber a maioria dessas informações. Não preciso avisar a vocês que colas têm como consequência a eliminação imediata do candidato. Serão aprovados aqueles com nota igual ou superior a 7,0 de um total de 10,0 — ele então olhou para a porta da sala, e percebeu a presença de uma pessoa. — É só isso que tenho a dizer. Porém, antes de iniciarmos, vocês receberão algumas palavras da líder do ginásio de Rustboro, Roxanne. 

Da porta surgiu ninguém menos que a mulher que havia dado carona para Sapphire, Ruby e Camila no dia em que estiveram no ginásio, deixando os três pasmos com a situação. Ela notou a expressão dos três, sorriu e então caminhou até o local onde estavam os instrutores, se colocando a frente deles e voltada para os candidatos.

— Como líder do ginásio de Rustboro, gostaria de agradecer a todos os presentes por vir tentar o exame de admissão para desafiar o ginásio. É um ato, acima de tudo, de coragem e autoconfiança que todo treinador precisa ter, principalmente quando se tem um objetivo tão ambicioso quanto buscar uma vaga na Liga Pokémon. Tenho certeza que todos aqui se prepararam bastante, e estarei aguardando os aprovados para marcarmos a data das batalhas. Boa sorte a todos. 

Roxanne então saiu da sala, e a partir dali os instrutores começaram a distribuir as provas para que o exame tivesse início. Assim que o relógio da sala apontou o horário combinado para o início do exame o sinal foi dado para que os candidatos virassem suas provas e enfim começassem o teste. O barulho das provas sendo folheadas e algumas pontas de caneta já sendo arrastadas pelas folhas de papel já podia ser ouvido. No entanto, todos os presentes permaneciam em silêncio, o que ajudava a aumentar a tensão no local. 

Ao término do tempo limite, as provas foram sendo recolhidas pelos instrutores. Os candidatos permaneciam na sala, agora mais soltos, podendo ficar de pé para esticar as pernas e conversando entre si para tentar disfarçar a apreensão. 

Passaram-se quase duas horas. A impressão era a de que já estavam por uma eternidade naquele local. Todos aguardavam com ansiedade o resultado do exame de aptidão, e era impossível prever algum resultado. Por mais confiantes ou pessimistas que os candidatos pudessem estar, tudo ali não passava de puro achismo. Não dava para ter certeza de nada, e não existiam resultados improváveis, sejam positivos ou negativos. 

O instrutor então volta à sala onde o exame foi aplicado. Dentre os candidatos a desafiar o ginásio, várias expressões diferentes podiam ser vistas. Algumas confiantes, outras já pareciam ter desistido daquela tentativa. Apesar de não possuírem a mesma intenção, Ruby parecia tranquilo com o andamento da prova, enquanto Camila estava um pouco mais nervosa.

— Aqueles que tiraram a nota acima de 7,0 estão aptos a enfrentar o ginásio de Rustboro. Estes podem se dirigir à secretaria para retirar seus certificados, que deverão ser mostrados no local e dia da batalha. Quanto aos desclassificados, podem tentar novamente daqui a duas semanas. Até lá estudem bastante. A biblioteca da cidade está a disposição de vocês, e lá encontrarão material de estudo suficiente para se prepararem para o próximo exame. Agradecemos a participação de todos, e agora entregaremos seus resultados. 

O homem passava de mesa em mesa entregando os resultados aos candidatos, que um a um iam exibindo sorrisos ou olhares de reprovação. Assim que recebeu seu exame, Sapphire não deixou de esconder um sorriso vitorioso, e matou a curiosidade de seus amigos exibindo um belo 9,0. Camila então foi encoberta pela sombra do instrutor e gelou na mesma hora, porém foi surpreendida ao ver um 7,0 marcado em seu resultado. 

— Eu passei? — indagou, enquanto coçava os olhos a fim de certificar-se de que não estava sendo enganada por eles. — EU PASSEI, NÃO ACREDITO! 

— Acalme-se, Camila... — ia dizendo Sapphire, antes de ser interrompida pela garota. 

— Dra. Camila pra você! Eu sou uma pessoa altamente instruída. Meu nível acadêmico é reconhecido!

Faltava apenas Ruby. O garoto sorria orgulhoso, dando sinais de que confiava plenamente em suas capacidades. Desde pequeno devorava os incontáveis livros que seu pai possuía em casa. Conhecia os mais avançados termos técnicos e sabia tudo sobre treinamento e criação Pokémon. Ou melhor, quase tudo. 

Ao se deparar com sua nota sua expressão vitoriosa desabou em uma fração de segundos. 

— CINCO? — berrou o garoto, chamando a atenção dos presentes na sala. Ele logo se levantou e dirigiu sua palavra ao instrutor. — Com licença, eu acho que houve um erro no meu resultado! 

O instrutor pegou o exame das mãos de Ruby e começou a revisar a correção realizada pela Academia. Após alguns instantes o rapaz devolveu o exame ao garoto. 

— Sinto muito, mas a correção está correta. Este foi o seu resultado final. Se quiser tentar novamente, sugiro que estude mais um pouco.

"Estude mais um pouco". As últimas palavras do instrutor ecoavam na mente de Ruby. Aquele havia sido o golpe de misericórdia no orgulho do garoto, de forma que ele precisou ser carregado para fora da sala por Camila e Sapphire. Pouco tempo depois eles estavam sentados em um banco em uma das praças da cidade. Ruby ficava encarando a pequena fonte central jorrar água para cima de dentro de uma estátua de dois Barboachs entrelaçados. A expressão desiludida do garoto era visível, uma vez que não estava acostumado a fracassos, especialmente quando se tratava de seu nível de conhecimento sobre determinado assunto. 

— Ei, relaxa — disse Sapphire enquanto tocava o ombro de seu amigo, em uma tentativa de confortá-lo. — Nós sabemos que você é inteligente, e conhece bastante sobre Pokémons. 

— Então pode me explicar por que eu fui reprovado? — normalmente a fala seria pronunciada de forma mais ríspida, mas o desânimo de Ruby era tamanho que ele sequer conseguia alterar o tom de sua voz para um que não fosse o de total desinteresse naquela conversa.

— É porque você passou muito tempo lendo e pouco praticando — interveio Camila, atraindo a atenção do garoto. — Você precisa conviver mais com seus Pokémons, batalhar lado a lado com eles, interagir com eles. Falando sério, eu sequer sei quais são os Pokémons que você carrega consigo, não os vi uma única vez desde quando nos conhecemos. 

Ruby sabia que Camila tinha razão. Era um detalhe tão básico, tão óbvio, que ele não conseguia nem mesmo se perdoar por tê-lo deixado passar despercebido daquela maneira. Inclusive porque seu pai repetia essas mesmas palavras até a exaustão quando ia ensiná-lo algo novo. Mas só de pensar naquele Treecko mal-humorado Ruby já começava a entender que ele deixou esse detalhe escapar de propósito.

— No meu caso isso é um pouco mais complicado do que parece — resmungou o garoto.

— Não entendi — Camila fez uma expressão confusa.

— Camila, eu acho que sei o que está acontecendo — Sapphire interveio. — Ruby, se o problema está na personalidade do seu Treecko, então você precisa se adaptar a ele. Tente dar a ele um pouco mais de liberdade, como eu fiz com o Torchic. Talvez isso ajude.

— Não sei, às vezes eu tenho a sensação de que ele vai sair da Pokéball à noite e me matar. Ele realmente não gosta de mim. 

— Queria que ele já viesse te amando? — perguntou Camila. — Nem com outras pessoas as coisas funcionam desse jeito. Você precisa conquistar a confiança dele. Mostre que você o escuta, e com o tempo as razões do comportamento do seu Treecko vão aparecer.

— Como posso fazer isso? 

— Eu vou te ajudar batalhando com você, pois assim eu posso analisar o Treecko. Mas não agora. Daqui até o dia da batalha contra a Roxanne eu estarei ajudando a Sapphire a se preparar. Mas logo que ela terminar a batalha nós vamos dar um jeito na sua relação com o seu Pokémon.

Ruby abriu um sorriso tímido. Ele não sabia como seria esse teste, tampouco como o seu Treecko reagiria a isso. Mas Camila era mais experiente que ele, e de certa forma passava mais segurança ao dizer que ia ajudá-lo. 

— Tudo bem então, temos um acordo.

Os três chegaram ao Centro Pokémon ao final do dia para poder descansar. Assim que alcançaram a recepção, Sapphire foi notificada de que sua batalha contra Roxanne havia sido marcada para acontecer em quatro dias. Seria um período importante para se preparar para o desafio, então ela tratou logo de subir para o quarto e recuperar as energias. Ruby chegou a sugerir que fossem a um dos cafés da cidade para relaxarem, mas a garota parecia levar a sério o que estava por vir. E deveria.

— Não vale a pena focar somente nos ginásios, você tem que sair e relaxar um pouco — disse Ruby, mostrando certa preocupação. 

— Preciso me concentrar agora, senão eu vou acabar não conseguindo treinar bem — Sapphire respondeu enquanto se sentava na cama do quarto reservado e tirava a bolsa onde carregava seus itens. — Prometo que quando eu resolver o meu desafio no ginásio nós vamos sair para nos divertir um pouco.

Quem permanecia mais quieta naquele momento era Camila, o que era algo raro. Ela estava sentada em uma cadeira, lendo alguns papéis usando a luz de um abajur, e parecia estar bastante concentrada.

— E você, o que está fazendo? — Sapphire ficou curiosa. — Não é normal você estar tão quieta assim. 

— Eu estava vendo os locais da Batalha da Fronteira. São sete edifícios ao todo. Um deles é perto daqui...

Camila apoiou as mãos na escrivaninha, e apoiou-se na mesma para levantar mais rápido. Então ela se virou para Sapphire.

— Parece que os próximos dias de treinamento não serão só pra você — Camila agora tinha um sorriso que demonstrava excitação, mas também um pouco de nervosismo. — E eu não vou poder pegar leve. 

— E quem disse que eu queria que você pegasse leve? — Sapphire se animou com a situação, pois se Camila ia batalhar sério então era sinal de que o treinamento seria produtivo.

Ruby mantinha um sorriso disfarçado ao ver as duas companheiras entusiasmadas, mas logo voltou à sua expressão de preocupação. Se perguntava se algum dia ele conseguiria carregar a mesma determinação e confiança de suas amigas, sentia que se não fizesse alguma coisa ele rapidamente ficaria para trás. Não queria ser apenas um coordenador normal. Queria se tornar o protagonista de sua própria história. E sabia que para alcançar isso precisaria trabalhar muito duro.

O tempo passava, e os primeiros desafios do trio de viajantes se aproximavam. Era hora de cada um esquecer um pouco o ar deslumbrante do início da jornada, e passar a focar em seus objetivos. Dali em diante eles estariam de frente para os obstáculos que determinariam se eles são capazes de continuar.

FIM DO CAPÍTULO 7


  

{ 13 comments... read them below or Comment }

  1. Yo, Shadow!

    Cá estamos nós, mais uma vez, para acompanhar a saga desse maravilhoso trio nas terras de Hoenn. Fico bastante contente que eles estejam se dando bem.

    Mas, ansioso que sou, mal vejo a hora de eles também começaram a mostrar suas habilidades individuais nos Ginásios, na Batalha da Fronteira e nos Contests. Nem devo mencionar que ver tudo isso se aproximando me faz roer as unhas e querer te encher o saco pra saber como vai ser, né?

    COITADO DO RUBY! Me identifico com ele. Mas fale pra ele que OS EXAMES ESTÃO SEMPRE ERRADOS e recite aquele discurso clichê de que AS PROVAS NÃO DEFINEM A INTELIGÊNCIA DE ALGUÉM E QUE ISSO É UMA INVENÇÃO CAPITALISTA PARA TER AS MELHORES CABEÇAS PARA ESCRAVIZAR. Vamos espalhar a verdade!

    Achei maravilhoso esse capítulo! Tô querendo demais ver essa batalha entre Sapphire e Camila, parece que tem coisa boa vindo aí. Pena que AeH é uma vez por semana, porque tá tão bom que esperar uma semana pra ler o próximo é tortura!


    See ya!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tudo bem, mano?

      Os três possuem diferenças de personalidade, mas no fundo eles têm objetivos que andam lado a lado, então sempre é bom ter um ao outro pra ajudar. Mesmo o Ruby tendo algumas frescuras, ele é uma pessoa fácil de lidar. A Camila e a Sapphire então nem se fala.

      Sua ansiedade será controlada em breve, quando a Sapphire for pro desafio contra a Roxanne (já posso falar, porque ela passou na avaliação teórica). Teremos apenas um capítulo especial antes, e depois a tão aguardada batalha!

      E por falar na avaliação, o Ruby demonstrou que era apenas um rookie exibido, que acha que ser treinador é só sair lendo um monte de livro sobre o assunto e não colocar nada do que aprendeu em prática. Existem coisas que linhas escritas não fazem, e isso é dar ao treinador vivência de situações que podem decidir uma batalha, ou no caso dele um contest. Está na hora de superar seus medos e começar a se entender com o Jeff, se ele quiser ser alguém na vida!

      Capitalismo é bom. Hoenn é capitalista. Só não digo que tem pizza e lasanha liberada pra todo mundo porque custa dinheiro, então pague.

      AEH não é uma vez por semana, isso nunca foi dito kkkkkk
      Mas ainda assim agradeço os elogios e o apoio!

      Até! õ/

      Delete
  2. Diga aí, companheiro! Excelente trabalho feito com Rustboro, gostei do nível das descrições e do cuidado dado à reação dos personagens quando eles entraram na capital de Hoenn. Eu me lembro que a reação de entrar nessa cidade a primeira vez nos jogos foi semelhante, várias casas e construções (embora nenhuma servisse para muita coisa kk).

    Mas é a cara da Roxanne dar uma prova para dar a oportunidade de enfrentá-la nos ginásios! kkk Não basta ter apenas o corpo preparado, fico feliz que a Sapphire tenha provado sua experiência e não focado apenas na força bruta durante os treinos. Foi uma surpresa agradável ver o Ruby repetindo, você vai aos poucos afastando a velha imagem que tínhamos do Brendan e May da fic antiga, um certinho e inteligente, a outra durona, até a Camilla voltou mais madura, mas com aquele toque nada sutil do humor característico dela kkkkk

    E cara, por um instante pensei que você nunca fosse chegar no especial da Roxanne. E bem que na época eu falei: vou ler agora porque quando você postar já não vou lembrar de nada. Aqui estamos nós, cerca de um ano e cinco meses depois. Estou muito feliz que você tenha chegado nessa cena e ainda mais por voltar a dar o seu melhor com a fic! Mantenha o foco e o bom trabalho, parceiro! *brofist*

    ReplyDelete
    Replies
    1. Diga ae man!

      Fico feliz que tenha curtido, e mais ainda que você tenha conseguido captar esse sentimento de surpresa que os protagonistas tiveram ao chegar na cidade. Esse deslumbramento deles era algo que eu queria muito passar, até porque pelo menos a Sapphire e o Ruby vieram de cidades bem menores. Então tudo ali para eles é diferente. Se você conseguiu sentir essas vibrações da cidade, então eu acho que consegui passar a cena do jeito que eu gostaria.

      A Roxanne gosta de complicar as coisas, mas futuramente você vai perceber que ela não é a única em Hoenn que faz esse tipo de coisa. Com relação aos resultados, a gente pode perceber uma coisa simples. Se pararmos para analisar os personagens friamente, a gente acaba notando que o Ruby realmente é mais inteligente que as duas meninas. Mas elas tiveram o preparo correto, enquanto ele ignorou uma das etapas. Esse teste tem como objetivo mostrar que teoria e prática andam lado a lado, e se você despreza uma delas, a outra não estará completa e consequentemente você não terá sucesso. Mas vamos torcer para que essa derrota se torne uma motivação para o Ruby correr atrás do que falta, até porque se ele tentar competir em um contest do jeito que está agora...

      Você não estava errado em pensar isso, para ser bem sincero. Eu realmente estava com problemas de inspiração, mas agora estou começando a retomar o ritmo. Só de saber que estou há quase 3 semanas completas escrevendo todos os dias já me dá um ânimo extra, me faz perceber que é possível eu retomar o ritmo de antigamente. Com um pouco de esforço e quebrando a cabeça nas horas onde a criatividade não estiver a favor, tenho certeza de que tudo dará certo e vou poder seguir com a história que tanto gosto de escrever. Sim, apesar de enfrentar bloqueios criativos às vezes, eu gosto muito de escrever essa nova versão de Hoenn, e acho que isso é o mais importante para me manter motivado. Eu mesmo não sei do futuro da história, e por isso tenho a curiosidade de ver onde ela vai dar.

      Mas é como eu disse. Mesmo que eu não fosse continuar com Hoenn, eu tinha a responsabilidade de chegar até o especial da Roxanne pelo menos. O trabalho que você teve para colaborar com o capítulo — e os leitores só saberão que colaboração foi essa na semana que vem, quando ele for lançado — não podia ser ignorado. Ainda mais porque é algo que eu sei que você não faria se não fosse uma coisa que te gera expectativa. Então eu tenho essa responsabilidade de corresponder.

      Manterei o foco com certeza, e vou me dedicar ao máximo para poder fazer essa história andar pra frente!

      Brofist!

      Delete
  3. Yo Shadoow
    Tudo bom cara?

    Aqui estou novamente,e por pura coincidência do destino o último comentário meu foi exatamente mês passado :v

    Tivemos no começo o trio chegando na cidade maravilhados com a beleza da capital,indo até o ginásio,achando que a vida é alegre,pensando que a vida é um pudim,mas a vida não é um pudim,não é só chegar no ginásio e pedir um desafio que a líder vai aceitar qualquer um,tem que se esforçar mostrar determinação fazer uma prova pra mostrar que você é digno de batalhar

    Já era esperado que a Sapphire passaria com uma nota alta já que ela tem experiência ajudando o seu pai,então ela tem experiência teórica e prática,já a Camila experiência prática ela tem mas teórica eu já não sei caso não tenha tanto conhecimento teórico explica sua nota mais baixa,ou simplesmente ela ficou nervosa,marcou duas questões,passou corretivo,essas coisas acontecem não podemos culpar ela kkk,já o Ruby obviamente não tem prática nenhuma mas sabe a teoria decorada,o que não deu pra salvar ele huahuashuahuas

    A batalha de ginásio está chegando,mal posso esperar pra Roxanne descer a porrada nesses treinadores nutellas,mostrar que quem manda nessa cidade é ela,mostrar pra eles uma gym leader raiz....só que não,talvez ela dê uma surra em novato,talvez,mas eu acho que não vai ser tão do nada,a sapphire tem chances de vencer mas ela vai precisar usar esses dias de treinamento bem,já que o torchic não tem nada pra ajudar contra pedra,só se ele evoluir no meio da luta e o toad (nome temporário até eu saber o nome certo)tem a chance de mostrar a sua habilidade e ter seu momento de brilho

    Ruby desolado após ser reprovado é no mínimo engraçado já que ele estava tão confiante,mas acho que ele se sairia bem melhor após o treino,ele só tem medo do Jeff,Treeckos são tão legais evoluem pra grovyles,grovyles são mais legais ainda,não tem como ele não ficar animado com um grovyle no time huahuahua

    Cara eu não lembro se eu já te perguntei,eu acho que já mas não lembro,então se já perguntei vou perguntar de novo já que eu tenho uma memória nível Dory,vai ter mega na fic?Tipo um Mega Jeff Mega Casca Grossa?Eu tenho quase certeza que você já me respondeu isso mas por via das dúvidas huashuahsuahuas

    See Ya =]

    ReplyDelete
    Replies
    1. E aí, mestre Grovyle!

      Se a vida fosse um pudim seria tudo tão mais fácil. Mas cá entre nós, eu gostaria que fosse uma lasanha. Estou naquela fase de querer comer coisa salgada kkkkkk

      O teste de admissão é uma forma do ginásio filtrar a alta demanda de desafiantes, e assim poder se organizar para as batalhas que vão sendo marcadas. Pode parecer cruel, mas com as reprovações dos que não foram bem, a Roxanne e sua equipe conseguem um tempo para se organizar. Eu quero fazer algo especial antes de cada ginásio, uma prova de aptidão parecida com aquelas da temporada das Ilhas Laranja no anime. Só que aqui seria algo que tivesse mais a ver com o ginásio em si, ou com algum ideal do líder. Não pensei em todos, mas pelo menos o do Brawly eu já tenho rascunhado na minha mente. Vou trabalhar a ideia com cuidado para poder fazer dela algo legal.

      A Sapphire é uma menina muito inteligente, mas sua personalidade boba e desastrada acaba escondendo essa qualidade das pessoas. Depois de conhecê-la melhor é que vamos descobrindo que ela guarda um potencial que poucos possuem. Mas isso não significa que as coisas serão fáceis. Ela ainda é imatura como treinadora, e essa falta de experiência pode atrapalhá-la futuramente. Quando ou se isso vai acontecer nem eu sou capaz de dizer.

      Roxanne pode não ser especializada em Pokémons do tipo planta, mas ela definitivamente é raiz — se você quiser me espancar até a morte depois dessa piada lixo sinta-se à vontade, eu mereço. Eu passei noites em claro pensando em como fazer essa batalha ser boa, mesmo com os tão poucos recursos que Pokémons em início de treinamento nos oferecem. Tentei fazer algo o mais convincente possível. Espero que goste. Pode deixar que o Dan e o "Toad" vão se esforçar ao máximo para que você goste da batalha!

      Ruby tem medo do Jeff por ele ser um Treecko casca grossa! kkkkkkk Vocês amaram esse apelido, né? Imagina só no Grande Festival, com todos aqueles Pokémons elegantes e de etiqueta invejável, e no meio deles o Jeff Casca Grossa! Desculpa, mas parece que vamos estabelecer novos padrões por aqui. BIRL! Até porque Treeckos são sim muito amáveis, e Grovyles são muito legais... E muito convencidos pelo visto, né? kkkkkk

      Sim, eu já decidi que vou trabalhar com mega evoluções sim. Tanto que dei preferência a basear a fic na geração ORAS justamente por isso. Agora vou ser sincero. Como estamos no começo da aventura eu ainda não tirei um tempo para pensar em como vou introduzí-las na história. Não faço ideia. Mas conforme as coisas forem se desenrolando eu vou conseguir achar um jeito. Mas vamos esperar que o Ruby dê um jeito no seu amigo antes de começarmos a falar de Mega Jeff. Afinal, não queremos que Hoenn afunde e suma do mapa, não é? Ainda temos que postar muitos capítulos, então eu preciso da minha região inteira!

      Valeu pela presença, meu caro! Ter você por aqui é sempre um prazer.

      Até breve! õ/

      Delete
  4. Ainda estou colocando em dia, mas já afirmo que estou amando cada pedacinho. Que evolução Shads! Eu adorei todos os capítulos até o momento e esse me prendeu a atenção em um ponto específico que, creio eu, deveria existir em muitas fics. No momento em que o Norman se senta com o Birch para bater um papo e pergunta ao amigo se os filhos dos mesmos possuem chance de chegar longe, CARA pode soar simples, entretanto ali você humanizou esse universo de um jeito que não consigo explicar, visto que normalmente o clichê reina sobre os sonhos e blablabla. Nesse momento você deixou esse universo próximo do que vivemos no dia a dia, será que temos chances de alcançar nossos maiores anseios? Rsrs enfim, mesmo com as pausas de tempos em tempos você mantém uma linha de qualidade incrível, puxa saquismo eu sei, todavia faz por merecer, já que Aventuras em Hoenn me fascina desde 2013-2014. Um ótimo trabalho!!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ainda está colocando em dia, mas já está bem avançado! kkkk 7 capítulos assim de vez não é pra qualquer um!

      Que bom que está gostando da nova escrita, eu realmente estou me esforçando para melhorá-la cada vez mais. Ainda tenho dificuldades em alguns pontos, mas ando trocando ideia com outros escritores e isso tem me ajudado bastante!

      Fico feliz que tenha prestado atenção justamente na cena do Norman e do Birch. É uma cena que não agrega muito à história principal, alguns podem até dizer que ela é desnecessária, mas você pegou bem o ponto que eu queria alcançar com ela, que é justamente dar uma participação maior aos personagens que não aparecem tanto, para que não sejam simplesmente NPCs, ou seja, personagens que estão naquele lugar e naquele momento justamente para cumprir uma tarefa e depois se tornam totalmente descartáveis. Você chegou ao capítulo 7, então antes de ir para o 8 recomendo que leia o especial da Roxanne, que tem muito a ver com isso. Faz parte de uma ideia que o Canas teve lá em Sinnoh e acabou me permitindo fazer aqui em Hoenn, que é um especial para mostrar os líderes de ginásio de uma forma diferente. Dessa forma eles deixam de ser meros obstáculos e passam a ser personagens também.

      E sobre essa questão de poder alcançar os sonhos, é uma reflexão complexa que nós mesmos vivemos fazendo, mesmo que nem sempre a gente perceba isso. E essa dúvida ainda vai aparecer muitas vezes ao longo da história. Sapphire está se esforçando, Ruby e Camila vão começar a se preparar para seus objetivos também, mas até onde só o esforço basta? Eles vão ter que aprender isso cedo ou tarde, e se vão descobrir as outras coisas necessárias para chegar aos seus objetivos é algo que só o tempo dirá.

      Mais uma vez seja bem vindo de volta. Valeu pela força, sei que é complicado começar do zero uma história que você leu até tão longe antes, mas essa segunda chance significa muito pra mim.

      Até breve! õ/

      Delete
  5. Cara, como sou um neto, digo que fiquei com raiva de tu ter posto o Ruby pra errar, mas é pela *nerdeza* mesmo, então não se preocupe, são contemplações idiotas de alguém que lê bastante para ter assuntos e informações.

    Mas cara, muito top o que vi até agora, e tenho confiança nos membros desse grupo, eles chegam longe! Só não tenho confiança na Camila, rsrsrs,não, não é pra tanto...

    Bem cara, valeu pelo CAP, vou ao próximo

    ReplyDelete
    Replies
    1. *... Como sou um nerd...

      O corretor falhou e bugou o bagulho.

      Delete
    2. kkkkkk Eu entendo perfeitamente o seu ponto. Mas o que eu realmente quis passar é que precisa haver um equilíbrio entre teoria e prática para as coisas darem certo. Um exemplo disso é que sei várias coisas sobre o competitivo de Pokémon, mas tenho pouquíssima prática. Então quando enfrento um cara brabo como o Doritos eu acabo sendo trucidado kkkkkk

      Confiança no grupo? Really? Você é um dos poucos que disseram isso até hoje. E eu sinceramente não sei o que esperar desse trio de gente doida! kkkk Mas torço muito por eles. E quanto a Camila você vai ver em breve que ela é brincalhona e meio maluca, mas quando é preciso levar as coisas a sério ela leva. Ô, se leva!

      Obrigado por vir, Sir! Seja bem-vindo de volta! õ/

      Delete
  6. hello!

    essa capítulo foi bem calminho mas tocou pontos muitos importantes da história!

    adorei ver esse desafio de roxxane, avaliando o conhecimento dos treinadores que a desafiam e fiquei surpreendido com os resultados! principalmente com o de ruby, que, na minha opinião foi o personagem com maior foco (merecido) neste capítulo!

    ver a camila ajudar os novos treinadores também foi algo curioso, afinal a menina gringa e "idiota" que todos pensam não é assim tão insignificante, verdade?

    confesso que estava à espera de ver algumas cenas de treino entre os três protagonistas, até porque sapphire e camila vão ter os seus desafios em breve, mas possivelmente veremos em próximos capítulos!

    antes de terminar, não me posso esquecer dessa ceninha entre os pais dos protagonistas! é muito interessante ver o ponto de vista deles, preocupados com o futuro e as carreiras dos seus filhos... certamente sabem os desafios que os esperam e, no fundo, esperam que eles os consigam ultrapassar, tal como todos nós estamos a torcer por eles!

    assim sendo, estou curioso para ver o desenvolvimento da relação entre ruby e o seu treecko e o treino de preparação das nossas meninas sapphire e camile, assim como o decorrer da jornada dos nossos três aventureiros!

    byeeeeeeee :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ha! Ninguém esperava que o Ruby fosse tão mal na prova! Logo ele, todo metido a inteligente! Mas se ele quiser ser um coordenador de respeito será necessário perceber que conhecimento e prática andam lado a lado.

      A Camila agora é uma treinadora com mais experiência. Ela não começou sua carreira agora, ela já vem a Hoenn como uma veterana. Essa experiência dela muitas vezes acaba passando despercebida por esse jeito extrovertido e pirado que ela tem, mas em breve você vai vê-la em ação. Nossa amada rainha não veio pra brincadeira dessa vez! ;)

      Assim como você mencionou no último capítulo com relação à Roxanne e o Steven, eu também quero dar mais atenção a outros personagens importantes. Tudo bem que o Norman é um líder de ginásio e o Birch é um pesquisador renomado, mas isso não muda o fato de que eles são os pais do Ruby e da Sapphire respectivamente, e por isso essa relação também tem que ser trabalhada para que eles acabem não ficando muito distantes. Até porque eles vão voltar a se ver em algum momento na história.

      Vamos ver se esses treinamentos vão dar resultado. Não só a Sapphire tem que se preparar para o ginásio de Rustboro, mas o Ruby também tem um contest a caminho! O tempo está correndo, e eles estão em uma situação onde é melhor se apressar para não acabarem se prejudicando.

      Até! õ/

      Delete

- Copyright © 2013 - 2018 Aventuras em Hoenn - Shadow - Powered by Blogger - Designed CanasOminous -