Postado por : ShadZ Jul 5, 2019

Faces da Fronteira



— Vamos atracar em cinco minutos!

As palavras de Briney soaram como música para os ouvidos do trio de viajantes, que enfim poderia desfrutar de terra firme após dias em alto-mar. A vasta faixa de areia da praia de Slateport já podia ser vista de onde estavam com a cidade crescendo ao fundo. O barco aproximava-se da costa, sendo recebido por revoadas de Wingulls rodeando-os. Peeko saiu de seu poleiro na cabine do piloto para interagir com os demais de sua espécie.

O cais tomou forma logo em seguida, e o tempo que levaram para atracar condizia com o que o velho ex-marinheiro havia dito. Ao pisarem nas tábuas do ponto de desembarque Ruby e Sapphire suspiraram aliviados, como se estivessem libertos de uma prisão que durara dias. Camila se mantinha em silêncio, mas seu humor parecia um pouco melhor do que quando deixaram o navio abandonado.

— O que vamos fazer primeiro? — Sapphire perguntou, sem conseguir esconder a animação. — Quero passar a tarde inteira na praia!

— Você vai ter tempo de sobra para se divertir depois que reservarmos os quartos no Centro Pokémon — disse Ruby, que observava as ruas da cidade na esperança de encontrar o local. — Eu quero visitar a feira da cidade, dizem que dá pra comprar suprimentos lá com preços bem menores que os do PokéMart.

— É verdade — Camila falou ao se aproximar. — Eu desembarquei em Hoenn por aqui e fiz algumas compras na feira. A gente vai conseguir economizar um bom dinheiro se comprarmos por lá.

— Também tenho que passar no Contest Hall da cidade e fazer a minha inscrição para a próxima competição — o menino então se virou para Briney, dando ao velho a quantia em dinheiro por ter realizado viagem. — Obrigado pelo serviço, sei que deu bastante trabalho para o senhor nos trazer até aqui.

— Não tem problema, garoto — disse o navegador. — Já fiz viagens bem mais longas durante a minha vida, e eu e Peeko estávamos precisando viajar um pouco depois de tanto tempo parados no mesmo lugar. Os anos passam, mas esse velho aqui não consegue perder o sangue de marinheiro.

Após se despedirem do homem os viajantes seguiram em direção à cidade. Slateport era uma típica cidade de veraneio. As casas simples eram típicas de uma cidade pequena, mas o porto recém-construído a fez crescer de tamanho com rapidez. Além disso, a grande concentração de pessoas na praia e nas ruas era um indicativo da alta-temporada, bem como do contest que se aproximava.

Os três não perderam tempo e se dirigiram ao Centro Pokémon para efetuar suas reservas. Ao chegar ao local já se dirigiram à porta de entrada quando a mesma se abriu, revelando um rapaz de cabelos negros que vinha na direção oposta. Sapphire olhou rápido para o rosto da pessoa, mas passou direto. Uma fração de segundo foi o tempo necessário para a garota parar e se virar bruscamente, apontando para o garoto com o dedo indicador.

— VOCÊ!

O rapaz se virou depressa ao notar que o grito foi disparado para ele. Seus olhos caminharam de cima a baixo analisando a menina, mas pela expressão que tinha em seu rosto ele parecia não reconhecê-la.

— Eu conheço você?

— Se me conhece? Tá de brincadeira comigo, Ethan?

Seus olhos se arregalaram com a surpresa de ver que a menina era uma conhecida. Depois de alguns segundos a encarando foi que a mente dele se iluminou, percebendo de quem se tratava.

— Sapphire? — seu tom de voz demonstrava surpresa e alegria, ao mesmo tempo em que ele já esfregava a mão na cabeça da garota. — Caramba, você cresceu pouco mesmo depois de todo esse tempo! E aí, pirralha? Tudo jóia?

— Por que você continua me chamando de pirralha, seu idiota!? — Sapphire tentava dar socos nos ombros de Ethan, mas a diferença de altura dificultava a tentativa.

— Hahaha, continua tentando, tampinha! O que vem de baixo não me atinge!

— QUEM É A TAMPINHA AQUI, CARA? EU VOU TE DAR UMA LIÇÃO AINDA!

Ruby e Camila observavam a cena sem entender nada do que acontecia. O garoto estava constrangido de ser notado pelos pedestres perto daquela gritaria, mas a menina assistia a cena com certa curiosidade.

— São seus companheiros de jornada? — Ethan perguntou, ainda empurrando Sapphire pela cabeça para não ser agredido. — Como vocês aguentam essa monstrenga todos os dias?

— Boa pergunta, sério mesmo — disse Ruby, que dava de ombros ignorando os gritos de “quer morrer?” de Sapphire.

Quando Ethan conseguiu se desvencilhar de Sapphire, o rapaz pôde ficar frente a frente com os dois companheiros de viagem da menina. Ele sorria, parecendo orgulhoso.

— Eu conheço a Sapphire desde que ela era uma garotinha. Vim pra Hoenn há uns sete anos, mais ou menos, e o Professor Birch me ajudou muito quando cheguei aqui. Tentei enfrentar a Elite na época, e até cheguei a batalhar com o Campeão. Só que na época o Campeão era o Drake, então vocês já devem imaginar o que aconteceu... — ele ria coçando a cabeça.

— Bem feito! — Sapphire mostrava a língua como uma criança fazendo birra.

— Relaxa aí, fedelha. Sua hora vai chegar também. Ouvi dizer que esse tal de Steven é bem forte. E agradeça que o Campeão não é mais o Drake e nem o Wallace. Você seria transformada em pó enfrentando qualquer um dos dois.

Sapphire cruzou os braços emburrada.

— Você não tinha ido pra outra região? O que tá fazendo aqui em Hoenn? Veio apanhar pra Elite de novo? Saiba que não vai nem passar da Liga, eu vou acabar com você lá.

— Pra sua sorte eu não vim competir na Liga. Esse ano eu tô desafiando a Batalha da Fronteira.

— Sério? — a menina ficou surpresa, e então apontou para sua companheira de viagem. — A Camila também tá desafiando a Batalha da Fronteira. Ela já tem um símbolo.

Ethan virou-se para a outra menina do trio com um sorriso entusiasmado.

— Legal! Parece que somos concorrentes, então! Que tal a gente treinar junto qualquer hora? Já tenho três símbolos, posso te dar algumas informações sobre outros Cérebros da Fronteira.

— Ah... — Camila não sabia o que dizer, pois ainda estava processando a informação de conhecer um outro desafiante da Batalha da Fronteira. — Claro, vai ser um prazer! Eu preciso treinar bastante mesmo, vou enfrentar a Greta em breve, assim que sairmos da cidade.

Ethan mudou sua expressão assim que a ouviu falar. Agora tinha uma expressão séria, porém curiosa. Nenhum dos três viajantes entendia aquela mudança repentina na maneira como o rapaz a encarava.

— Seu sotaque... — disse, enquanto coçava o queixo. — Ele é familiar. De onde você é?

— Ela é de Kanto — Sapphire respondeu. — Você viajou com pessoas de Kanto por um tempo, não foi?

— Ah, é verdade! — disse o rapaz. — Sim, realmente é o sotaque de Kanto. Me traz boas lembranças dos meus amigos. O que será que eles estão fazendo agora? Digo, o Forrest com certeza está cuidando do ginásio de Pewter, e a Amy... Bem, até alguns meses atrás ela estava em Sinnoh, mas ela é imprevisível. Talvez agora ela já esteja do outro lado do mundo e eu nem sei.

— Então o líder do ginásio de Pewter foi seu companheiro de viagem? — indagou Camila.

— Sim, ele mesmo. Você já batalhou com ele?

— Já sim.

Ethan então fez um sorriso malicioso.

— Quer dar mais detalhes sobre como foi a batalha?

— Nem ferrando — Camila sorria como se nada tivesse acontecido.

Ethan deu uma risada ao receber aquela resposta, mas não insistiu no assunto.

— Vão fazer a reserva no Centro Pokémon ainda?

— Sim, acabamos de desembarcar — respondeu Sapphire. — E depois vamos ao Contest Hall porque o Ruby tem que se inscrever para a etapa desse fim de semana.

— Eu posso esperar vocês. Também vou para o Contest Hall, combinei de me encontrar com uma velha amiga lá. E Camila, depois podemos ir a um evento da Batalha da Fronteira aqui perto que vai começar no final da tarde. É bom para reunirmos informações sobre o torneio. E ouvi dizer que dois Cérebros da Fronteira estão na cidade.

— Claro, vamos sim! — Camila tentava passar euforia, mas no fundo torcia para descobrir quem eram os Cérebros que estariam presentes no evento antes de precisar ir até lá.

O check-in no Centro Pokémon foi mais rápido do que imaginavam. Os três jovens tiveram a sorte de encontrar um quarto vago, onde poderiam se hospedar. Deixaram o excesso de pertences lá para então retornar às ruas da cidade para aproveitar um pouco melhor sua atmosfera.

Desta vez era Ruby quem estava com pressa. Parecia que o menino só ia sossegar quando tivesse a sua inscrição realizada para o próximo contest. Suas companheiras de viagem e Ethan acompanhavam o coordenador que seguia na frente de todos, caminhando de forma desajeitada, sem conseguir esconder o nervosismo.

Levou pouco tempo para que chegassem ao Contest Hall. A fachada estava lotada de gente, mal dava para ver a porta de entrada. Os quatro foram se espremendo entre as pessoas para poder passar e ver o motivo de tanta comoção.

Uma bela garota acenava para todos os presentes, ao mesmo tempo em que concedia uma entrevista para uma emissora de televisão. Seus olhos azuis tinham um tom claro que combinavam com os cabelos turquesa. Seu rosto era moldado por linhas finas e sua beleza reforçada por uma maquiagem que parecia ter levado horas para ser feita.

— Não acredito! — Ruby boquiabriu-se. — É a...

— Ei Lisia, aqui! — Ethan acenou para a garota, interrompendo o mais novo.

A menina olhou de imediato para a direção de onde vinha a voz familiar, e quando viu Ethan deu um breve aceno para ele, seguido de um gesto indicando que já iria lhe dar atenção. Ruby voltou seu olhar para o rapaz com expressão de total descrença.

— A sua velha amiga é a Lisia?

— Sim — ele respondeu.

— A top coordenadora mais popular de Hoenn.

— Aham.

— Sobrinha de Wallace, ex-Campeão da Elite de Hoenn e um dos mais incríveis coordenadores que o mundo já viu.

— Ela mesma.

Ruby apertou os dois ombros de Ethan, forçando-o a olhar diretamente em seus olhos.

— Nos apresente e eu terei uma dívida de gratidão eterna com você!

— Ei, calma! — o mais velho foi afastando as mãos do garoto de si. — Não é pra tanto, eu posso te apresentar a ela sim.

Com o fim da entrevista de Lisia a multidão foi se dissipando, uma vez que os seguranças dela a rodearam e se prepararam para voltar para dentro do Contest Hall. Ethan aproveitou a oportunidade para se aproximar, seguido pelo trio.

Os guarda-costas fizeram menção de bloquear a passagem do quarteto, mas a coordenadora gesticulou indicando que eram pessoas confiáveis.

— Há quanto tempo, Ethan! — a voz de Lisia era suave e graciosa, harmonizando perfeitamente com sua aparência angelical. A impressão que se tinha é que ela era talvez o mais próximo que um ser humano podia chegar da perfeição. — Eles estão com você?

— Estão sim — respondeu o rapaz. — Estes são Sapphire, uma velha amiga, e os companheiros de viagem dela, Camila e Ruby, que também é coordenador.

Lisia ficou intrigada ao ouvir o nome do garoto e olhou diretamente para ele. Ruby sentiu seu coração bater mais forte, não se imaginava prendendo a atenção de uma das inspirações para sua escolha de carreira.

— Você é um dos debutantes que conseguiu o pódio em Rustboro, não é? Adorei as apresentações de vocês três. Foram incríveis. Eu gostaria de ter assistido de perto, mas não pude comparecer pois não estava me sentindo muito bem no dia. Eu falhei com meu dever em meu primeiro contest como jurada, mas garanto que aqui em Slateport eu vou me redimir com vocês.

Ruby ficou vermelho como uma Tamato Berry. Aquele reconhecimento inesperado foi o suficiente para quase enfartar ali mesmo, naquela calçada. Não sabia onde esconder a cara.

— E-eu sou um... Um... Um grande fã seu! É um-ma honra saber que você gostou d-da minha apresentação!

Sapphire e Camila observavam a cena como se estivessem tendo o melhor dia de suas vidas. Ver Ruby lutar daquela forma para não externalizar seus sentimentos em público era um verdadeiro troféu por todas as vezes que foram vítimas da frieza do amigo. Seus rostos estavam tão vermelhos quanto o de Ruby, mas era devido ao esforço sobre-humano que faziam para não cair na risada.

— Por favor, me diz que você tem uma câmera — disse a morena.

— Infelizmente não, e eu me odeio muito por isso agora — Sapphire respondeu.

Lisia continuava sorridente. A alegria radiante da celebridade contagiava qualquer um que passasse por perto, exceto Ruby que não conseguia se manter calmo.

— Estou torcendo muito para que uma nova geração de coordenadores apareça e coloque um pouco de emoção nos contests — disse a moça. — Quero ver vocês três repetindo as atuações de Rustboro nesse fim de semana.

Depois de mais alguns minutos de conversa o trio saiu do Contest Hall e seguiu em direção à feira ao ar livre. Ethan havia ficado com Lisia para colocar a conversa em dia com sua velha amiga.

Ruby mal conseguia falar qualquer coisa devido à euforia que tomava conta de si naquele momento.

— Ela sabe quem eu sou — o menino praticamente babava olhando pra cima, sequer prestando atenção na rua. — A Lisia gostou da minha primeira apresentação.

— É uma boa ideia então você parar de sonhar acordado e já definir o seu cronograma de preparação para o contest — Sapphire alertou. — Escolha qual membro do seu time vai participar e comece os ensaios o quanto antes.

— Eu sei, eu sei. Já estou com algumas ideias em mente. Amanhã cedo eu vou começar a trabalhar nelas.

No momento em que chegaram à entrada da área da feira Sapphire e Ruby ainda conversavam distraídos, quando a menina esbarrou seu ombro em um garoto que vinha na direção oposta. Seu olhar cansado e enfurecido o fazia parecer mais intimidador, fazendo os três ficarem em estado defensivo.

— Presta atenção por onde anda! — disse com a voz áspera, saindo logo em seguida carregando as sacolas com as compras que havia feito.

— O que foi isso? — Camila indagou em descrença. — Aguentem aí, vocês dois. Eu vou trocar uma ideia com aquele idiota.

— Não precisa — Sapphire segurou firme o ombro da amiga, evitando que ela fosse tirar satisfação com o garoto. — Você tem andado muito tensa ultimamente. Extravasar dessa forma só vai te fazer mal. Vamos aproveitar o que tem de bom na cidade, ok?

— Ok, certo — disse a mais velha, enfim se acalmando. — Mas da próxima vez nem tente me impedir. Eu não gosto de gente que acha que pode fazer esse tipo de grosseria sem motivo.

Enquanto seus dois amigos se dirigiam para dentro da feira, Sapphire ficou observando o garoto se distanciando, até que desaparecesse atrás das outras pessoas que vinham para o mesmo local que ela visitaria naquele momento.

A menina não se prolongou muito. Deixou a sua insatisfação reprimida de lado e decidiu que seria mais proveitoso seguir o que ela mesma havia sugerido a Camila minutos atrás.

Em poucas horas o grupo estava abastecido com os itens necessários para seguir viagem. Os três, satisfeitos com o dinheiro economizado, rumaram de volta para o Centro Pokémon para guardar os itens adquiridos. Durante as horas que se passaram no período da tarde Sapphire e Ruby aproveitaram um pouco da praia da cidade, mas Camila permaneceu no Centro Pokémon relaxando.

Ao final da tarde a menina resolveu seguir para o evento da Batalha da Fronteira que Ethan havia lhe contado mais cedo. Pegou informações com a recepcionista do Centro Pokémon para saber o local e para lá seguiu.

Não queria estar indo até lá, mas preciso saber se as informações que tenho do torneio ainda estão atualizadas — pensou enquanto caminhava pelas ruas estreitas da cidade.

Quando chegou ao local a cidade já começava a ser tingida de tons alaranjados. Alguns postes começavam a se acender para a chegada da noite. O prédio onde aconteceria o encontro dos participantes era simples, algo que lembrava um salão de festas. A garota passou pela porta automática e se surpreendeu ao ver a quantidade de gente que estava lá, desde desafiantes até pessoas que trabalhavam na organização da competição.

Pessoas conversavam por todos os lados. A interação entre os treinadores desafiantes era constante uma vez que o modelo da Batalha da Fronteira não realizava batalhas entre eles, o que diminuía a ocorrência de rivalidades mais acaloradas.

Camila viu Ethan conversando com outra pessoa ao longe, mas preferiu caminhar para outro lado. Não estava com muita vontade de socializar com outras pessoas, só queria encontrar um lugar onde pudesse buscar informações sobre o torneio e voltar para o seu quarto reservado no Centro Pokémon.

A menina continuou caminhando pelos corredores até acessar uma área que não estava movimentada. Só havia duas pessoas conversando, e quando ela percebeu quem eram seu corpo paralisou.

— O que foi? Quer falar algo com a gente? — a primeira perguntou, uma menina loira com cabelos presos em dois coques e trajando vestes de luta.

— Greta, perdão por interromper nosso assunto dessa forma, mas ela é uma conhecida minha, e preciso falar com ela — disse a segunda, que tinha um ar mais sereno e se vestia com roupas muito mais elegantes. — Podemos continuar nossa conversa mais tarde?

— Ah, claro. Sem problemas.

Quando a garota loira se afastou das duas e o corredor ficou vazio, a mulher ajeitou seu cabelo lilás para trás da orelha, e falou em um tom cuidadoso para que ninguém mais ouvisse.

— Venha comigo.

Camila finalmente começou a se mover. Não porque havia se acalmado, mas sim porque era impossível recusar qualquer ordem daquela mulher. As duas entraram em uma sala particular, e assim que a porta foi fechada a mulher girou a chave na fechadura, deixando as duas trancadas.

— Pela sua cara de espanto você não veio até aqui para me encontrar — disse enquanto se servia de uma xícara de café.

— Senhorita Anabel, eu não imaginava que você estaria aqui hoje.

— Não recebo notícias de você tem um bom tempo. Você também não respondeu minhas mensagens e não enviou nenhum relatório sobre as investigações.

— Não foi possível.

— Porque você realmente estava incomunicável, ou porque você se deixou levar pela vida de aventureira?

Anabel se sentou no sofá de couro preto ao centro da sala, gesticulando logo em seguida para que Camila fizesse o mesmo. A menina se sentou com as mãos pressionando os próprios joelhos numa tentativa de esconder que suas pernas estavam trêmulas.

— Não precisa ficar tensa, eu não tenho a menor intenção de te aplicar uma punição ou algo do tipo — Anabel fez uma pausa e tomou um gole do seu café. — Entendo que uma jovem na sua idade tem ambições como treinadora, mas foi você quem escolheu ser minha estagiária. E nós precisamos da sua ajuda.

— Eu sei, eu cometi um erro ao te deixar sem informações por tanto tempo.

— Eu soube o que aconteceu com o barco do Briney na rota para Dewford. E eu soube que você estava lá pelas descrições que recebi dos passageiros. O importante é que você está bem, mas deveria ter me relatado esse incidente.

— Fiquei com medo de que você me tirasse dessa missão de campo se soubesse que eu tinha me envolvido em alguma situação de risco. Eu sei que foi irresponsabilidade minha não ter te contado o que aconteceu, mas eu queria muito seguir viajando.

— E manter o mundo arriscado para os amigos que você fez? Eu não vou tirar você da missão, mas preciso que você colabore melhor daqui em diante. Temos que ter o máximo de informação possível para rastrear os movimentos da Team Aqua e da Team Magma.

Anabel se levantou do sofá e caminhou em volta da sala por um breve instante. Parou de costas para a menina por alguns segundos, cruzou os braços e se virou de volta para sua subordinada.

— Você realmente se apegou aos seus dois companheiros de viagem?

— Sim.

— E por quanto tempo você pretende se esconder deles atrás desse nome falso?

A menina ficou em silêncio.

— Uma hora eles vão ter que saber a verdade — Anabel respirou fundo. — E cedo ou tarde você terá que escolher entre o seu dever e a sua vida pessoal, Miriam.

FIM DO CAPÍTULO 19


  

{ 14 comments... read them below or Comment }

  1. Caraca, Camila é Miriam.

    Mano, amei o capítulo.

    Gostaria de dizer que o Ethan foi um ótimo personagem pra se ver aqui, e puxa vida.... 7 anos. Esse número lhe é familiar, não? Pois é.... Coisas mano, coisas.

    Porra, Amy em Sinnoh foi algo surpreendente.

    Agora, falando aqui sobre o meio do capítulo, eu acho que o Ruby queria infartar. A Diva dele lhe elogiou. Tipo, too much magic. Sério.

    Por fim, Ethan está lutando pela Batalha da Fronteira, como a Camila. Camila acaba por ir falar com Anabel. Anabel fala pra ela parar de bobeira e voltar a levar as investigações a sério. Anabel fala o nome real de Camila. Ocu. Pesado.

    Valeu aí Shadow! E até depois!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quem diria, né? Nessa altura do campeonato e a Anabel vem nos dizer que vivemos uma mentira todo esse tempo!

      Cara, eu fiquei sim com certo receio de usar o Ethan, por ser um personagem criado pelo Dento e não por mim. Aí fica esse medo dele acabar fugindo do controle. Mas foi tão fácil trabalhar com ele, tão fácil encaixá-lo na história que é como se ele já estivesse aí desde o primeiro capítulo! E esses 7 anos dizem muito, né? kkkkkk Será que o Ethan conhece um rapaz aí de capa e chapéu que fica vagando por Hoenn?

      O Ruby ficou feliz de ter sido reconhecido por uma pessoa que ele admira. Acho que pra maioria das pessoas seria algo parecido estar em uma situação assim.

      Na verdade foi a Cam... Miriam... ??? que vacilou. A Anabel pode ter parecido fria agora, mas é uma personagem muito amável, e vocês vão ver isso no futuro.

      Valeu Napo! Até a próxima! õ/

      Delete
  2. Fala sir Shadow
    O loco mano capítulo cheio de spoiler do fim da AeJ, como assim o Ethan ta vivo, como assim o Forrest ta vivo? Como assim a Amy ta viva? KKKKK brincadeiras a parte, esse capítulo veio muito bom e… de novo tá sem notas para eu comentar…

    Camila agora mudou de nome, continuo chamando ela de Camila? Ou passo chamar a mina de Miriam? Falando em Miriam… A não mano, estava pensando que a garota tinha alguém no passado dela com esse nome, eu achando que o Spiritomb tava fazendo ela se lembrar dessa pessoa e que a Camila estava puta com isso. Não que a Camila era Miriam e que só queria esconder isso do pessoal… Bem acontece.

    Vish mano a Lizzie falou bem do Rubens, agora a cabeça desse menino subiu, se ele ganhar ainda o contest do porto dos Skates ele vai ficar arrogante lol, tomara que não, quero o pequeno Rubens humilde #RubyPerdeEmSkateport

    Agora o Ethan, tirando o fato dele estar vivo… Ele realmente não bate de frente com o Drake… Aff o cara perde para gente que hoje é da elite, que decepção garoto, to até vendo ele perdendo pro lance no fim de AeJ, agora sobre o eu atual dele, bom ver ele se divertindo pela fronteira, Camiliam vai ter um bom desafio no final.

    Acho que era isso Shadow
    Vejo você na próxima!

    ReplyDelete
    Replies
    1. É como eu disse. O Dento falou que o Ethan morre, só não disse quando kkkkkkkkkkkk

      Camila ou Miriam? Que dúvida cruel. Mas Anabel cantou a pedra. Nossa querida protagonista não é bem quem a gente pensa que é. O que mais será que existe pra ser descoberto sobre ela?

      Lisia levou o Ruby pro céu em poucos minutos kkkkkkkkk O garoto reclama de tudo, mas só por essa tarde a jornada já valeu a pena.

      Drake foi o Champion mais poderoso que Hoenn teve. Isso vai ser mostrado muito em breve. Ethan ter perdido pra ele não é vergonha alguma, eu te garanto.

      Até a próxima! õ/

      Delete
  3. É tanta coisa acontecendo! Esse capítulo é aqueles começos de Arco que você sabe que servirão como base para uma penca de momentos cruciais e batalhas importantes nos próximos capítulos. Mesmo já tendo acompanhado um pouquinho do desenvolvimento da Miriam, ainda é muito intrigante para mim entender seu real envolvimento com a Anabel e essas investigações. Ela, que por sinal também é cérebro da Fronteira e espero que seja responsável por uma das batalhas mais épicas da Cam-- ops, Miriam, até o fim de sua jornada.

    Ethan, bom te ver por essas terras, cara! Esse capítulo teve conversas descontraídas, mas que ao mesmo tempo ofereceram dicas gigantescas sobre a posição de todas as nossas fics na lendária timeline da Aliança. É só seguir o Ethan que tem coisa grande envolvido kkkkk Até eu me surpreendi com a menção da Amy em Sinnoh, isso renovou minhas energias para voltar a trabalhar, vai ser louco demais. E o Ruby todo abobalhado pela Idol dele kkkkkkkk É a crush, pô, todo mundo fica assim.

    Belo capítulo cara, fez bem com aquele corte, porque você vêm construindo uma baita tensão desde o ataque no Team Aqua e logo mais começaremos a interligar diversas pontas que trarão verdadeiras consequências. Ethan apresenta um baita potencial como rival, e dessa vez Ruby também não vai querer fazer feio nos Contests. Outra coisa, gostei do toque delicado dos Wingulls quando a Peeko voou para junto deles no primeiro parágrafo. São essas coisinhas pequenas que nos trazem de volta para o Mundo Pokémon e trazem o brilho que somente essas jornadas conseguem trazer. Traga mais! Grande abraço.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Nem fala kkkkkkkkkkk Slateport é talvez o arco mais importante dessa primeira temporada. A partir daqui começa a reviravolta no background da Miriam, alguns pontos começam a se interligar e outros eventos relevantes acontecem. Por isso eu estava tão ansioso pra chegar logo nessa cidade.

      Anabel será uma peça-chave no desenvolvimento da Miriam. Por mais que ela tenha parecido fria nesse primeiro momento, ela só está exercendo seu papel de líder das investigações. Mas por que razão a Polícia Internacional estaria envolvida nesses problemas em Hoenn? Não parece que estamos lidando com alguns vilões lunáticos como de costume kkkkkkk

      Ethan encaixou tão bem aqui em AEH, justo no momento em que eu precisava desenvolver um rival pra Miriam na Batalha da Fronteira a gente começa a zoar com essa coisa do Ethan estar em todas as fics da Aliança. E o que antes era só uma piadinha acabou virando coisa séria.

      Não veremos o Briney por um tempo, então é mais do que justo dar uma pequena cena pra Peeko se despedir da gente, pelo menos por enquanto. Quem sabe no futuro eles não estarão de volta pra resolver algumas pendências?

      Valeu mano, até a próxima! õ/

      Delete
  4. Demorei mas cheguei, tudo certo Shads?

    Depois de muito ansiar Skateport chegou! Espero muito desse arco que, até o momento, só tem me deixado mais e mais orgulhoso em ser um fã assíduo de AeH, então não me desaponte como de costume viu ashsah.

    Essa parcela da história foi bem causal em suma, acho que já era super nítido a presença do Ethan e por isso não comentarei sobre, a revelação foi dada no capítulo anterior. Ruby enfim demonstrou um pingo de emoção para com outros e isso me deixou bem satisfeito, porém se teve algo que concretizou esse capítulo foi, de longe, o brasileirismo nos diálogos e reações para com as situações nas quais os chars estavam inseridos. Cara você sabe que adoro quando nossa realidade é aproximada da história, torna a experiência mais pessoal e isso não tem preço. Nota 10 para esse quesito.

    Camila meu amor... digo, Miriam!!

    Confesso que se existe uma personagem da qual eu daria tudo para que ganhasse vida e se tornasse uma amiga minha seria, sem dúvida, essa! Parece que a cada passo dado nos é concedido mais informações sobre quem ela é e o porque nos apegamos tanto nela. Personalidade, carisma e atitude são os adjetivos que posso usar ao descrevê-la. Use e abuse da sua criação, ela ganhou proporções grandíssimas.

    Acredito que seja tudo o que tenho para partilhar, obrigado por mais uma vez nos trazer conteúdo de qualidade e com muito amor dar mais um passo na concretização dessa história maravilhosa que AeH é. Até mais Shadow 0/ !

    ReplyDelete
    Replies
    1. Slateport chegou, e agora é hora de botar em prática tudo que eu planejei pra esse arco! Prometo não desapontar!

      Ethan foi uma surpresa feita ainda no final do capítulo anterior. Foi uma ideia que surgiu do nada, mas já tem um tempo que ela vem sendo discutida entre eu e o Dento. E não é um furo de roteiro, porque o Dento sempre disse que o Ethan morreria, só não disse quando. :)

      Ruby caindo de amores pela idol dele kkkkkkkkkkkkk Quem diria que essa pedra de gelo ambulante teria algum sentimento além da sua costumeira indiferença com tudo à sua volta.

      E a Miriam? Essa é uma personagem que vem ficando cada vez mais complexa. Às vezes eu me pergunto se aquela camada mais cômica dela algum dia vai voltar. Eu espero que sim, adoro escrever cenas com ela falando besteira. Mas uma coisa eu garanto: ainda vai dar muita m* nessa história toda dela.

      Valeu mais uma vez pela presença, meu caro!

      Até a próxima! õ/

      Delete
  5. Eita preula

    Bom, é o Ethan.
    Não é a Camila.

    Achei que a Camila não queria encontrar o Anabel por causa de um passado trágico envolvendo mortes, mas é pior, ela é sua chefe!

    A sapphire conhece o Ethan, ela apareceu em Jotho, por que se sim eu não me lembro não. Muito menos da Lisia.

    Gostei da reação do Ruby com sua ídolo. Deixa ele mais humano e menos frio como você mesmo disse.

    Bom, entendo por que a Camila queria tanto saber da Equipe Aqua agora.
    Estou muito curioso e mal posso esperar pelo que vai acontecer nesse arco (e pela morte do Ethan)!!!

    Acho que é isso, até mais, meu caro.

    ReplyDelete
    Replies
    1. E acabou que era o Ethan mesmo kkkkkkkkkkkkkkkkkk Mas a Camila agora é Miriam! O que está acontecendo aqui?

      Melhor a morte do que ter que lidar com o trabalho, né? Você é um rapaz sábio kkkkkkk E tem muito mais por vir com relação à Anabel. O que vimos por agora foi só a ponta do iceberg.

      O Ethan já esteve em Hoenn antes. Quando AEJ aconteceu a Sapphire era criança. Após o fim de AEJ Ethan vem para Hoenn e logo conheceu Birch e Sapphire quando foi começar sua nova jornada. A Lisia foi a primeira companheira de viagem dele em Hoenn. Isso vai ser melhor explicado futuramente.

      O Ethan vai morrer um dia. Pode não ter sido em Johto, como o Dento queria fazer vocês acreditarem, mas um dia vai acontecer kkkkkkkkkkkk

      Até a próxima! õ/

      Delete
  6. Yo Shadow!!!

    Este capítulo teve demasiadas coisas a acontecer ao mesmo tempo! Vamos com calma para não perder nada!

    O trio protagonista chegou a Slateport, onde Ruby vai enfrentar mais um Contest! E nesse tema, ele conhece a sua ídola! Nossa, quantos nós sonhamos em fazer isso realmente? Gostei muito dessa cena, onde o rapaz revelou um pouco da sua vulnerabilidade e, graças a isso, tenho a certeza que ele irá dar o seu melhor desta vez!

    ETHAN EM HOENN CONFIRMED!!! Isso foi dos melhores presentes de sempre! Gostei muito de o ver por aqui e espero que possamos ver mais dele, da sua história e dos seus pokémon também! E agora que ele é adversário da Camila também, faz um combate entre eles!!!

    Por falar em Camilia... ou devo dizer Miriam??? Shadow, acho que desta vez passou de todos os limites! Está a transformar a Camila na verdadeira protagonista de Aventuras em Hoenn! Quantos mais segredos ela pode esconder? E qual é o seu verdadeiro objetivo, afinal? Ajudar a desmacarar a Team Magma e Team Aqua? VAI QUE TEM GUERREIRA E SALVADORA DE HOENN!!!

    Muito bom capítulo Shadow, adorei esses diálogos descontraídos e as descrições sempre no ponto! Continue assim!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Slateport é uma cidade bem importante para essa primeira temporada. Aqui acontecem alguns eventos que vão desdobrar os rumos da história para o futuro, então é bom começar a prestar atenção a cada detalhe nesse arco. ;)

      Ruby conheceu sua musa kkkkkkkk Quem diria que havia uma pessoa no mundo pra mexer com as emoções desse chato? Vamos ver se a presença da Lisia no próximo Contest será um obstáculo ou uma fonte de força pra ele fazer bonito e finalmente conquistar sua primeira fita.

      Ethan está entre nós! Diretamente das terras distantes de Johto para fazer a Camila ter que suar nessa Batalha da Fronteira. Será um adversário difícil pela experiência, pois a Aventuras em Hoenn acontece muitos anos depois de Aventuras em Johto, então aqui o Ethan já é um treinador veterano.

      E a Camila na verdade é a tal da Miriam que o Spiritomb citou no capítulo passado! É, dessa vez as coisas estão focadas um pouco mais nela. Ruby e Sapphire também vão ter seus momentos de serem desenvolvidos, mas prefiro ir fazendo cada um de uma vez para que os leitores não fiquem confusos. Mas já tenho o background dos três bem definidos na minha mente, é só questão de colocar em prática.

      Sobre a missão da Miriam em Hoenn, isso vai sendo revelado aos poucos. :v

      Valeu pela presença, Angie! Até a próxima! õ/

      Delete
  7. COMO ASSIM ETHAN TÁ VIVO?
    E COMO ASSIM A CAMILA NÃO É CAMILA?
    Gente só as revelações chocantes e aparições neste capítulo, é de cair o queixo viu. Amei eles em Slateport encontrando com Ethan, a Sapphire e ele como bons e velhos amigos, a Lisia interagindo com o Ruby e ele tentando não entrar em pânico e depois a Annabel, eu tô-
    Ai Shadz, eu não sei o que dizer, vou terminar o capítulo por aqui, o rumo que essa história está tomando, mano, meu deus

    ReplyDelete
    Replies
    1. Calma, cara! Ethan morre. A gente só nunca disse exatamente quando. :v

      Slateport existe pra isso! Revelações, apresentações, caos, tiro, porrada e bomba! Muita coisa vai rolar aqui ainda. Apesar de não ser uma cidade de ginásio, este é um arco vital para a Omega Saga, onde ele decompõe muita informação para criar várias pontas soltas que vão ditar o ritmo na Alpha Saga. Só espero conseguir lembrar de trabalhar tudo isso quando chegar lá kkkkkkkkkkkkkkkk

      Valeu pela presença, cara! Até a próxima! õ/

      Delete

- Copyright © 2013 - 2018 Aventuras em Hoenn - Shadow - Powered by Blogger - Designed CanasOminous -