Postado por : ShadZ Jan 24, 2020

Enquanto tivermos uns aos outros

Art by: kingloomy

Anabel estava em seu quarto de hotel consultando os relatórios do incidente que envolveu a Team Aqua no Museu Oceânico de Slateport no dia anterior. Ainda não havia deixado a cidade, pois as equipes da força-tarefa da Polícia Internacional ainda procuravam rastros que os pudessem levar ao próximo paradeiro da organização criminosa. Tinha ao seu lado uma xícara de café trazida pelo serviço de quarto. A mulher já tinha perdido a conta de quantas daquela havia bebido. Havia passado a última noite em claro.

Ao ouvir batidas na porta, ela estalou devagar o pescoço e pela primeira vez em algumas horas se levantou da sua cadeira. Ao abri-la viu um dos oficiais de sua equipe trazendo algumas pastas, porém com um tom de voz demonstrando urgência.

— Essas são algumas fichas de membros importantes da Team Aqua, mas vamos deixar aqui para que a senhora olhe depois. Por agora precisamos que venha com a gente até o porto da cidade. Temos informações novas e importantes sobre o caso.

Anabel pegou seu sobretudo e partiu para a porta principal do hotel. Uma viatura da polícia local já esperava a mulher para conduzi-la ao local onde fora chamada. Poucos minutos se passaram e a viagem transcorreu sem empecilhos até que ela chegasse ao local de destino. Dentro do Porto de Slateport, mais precisamente em uma sala na área do estaleiro, um homem já de certa idade a aguardava. Estava sentado em uma mesa simples, com alguns policiais a sua volta, com visível preocupação.

Anabel logo o reconheceu como sendo Stern, um famoso engenheiro naval da região que trabalhava para a Marinha de Hoenn. Ela foi se aproximando da mesa, onde se sentou justamente do lado oposto ao homem.

— Bom dia, Capitão Stern. Foi por causa do senhor que fui chamada?

— Eu gostaria de não precisar chamar vocês aqui hoje, mas infelizmente ocorreu algo terrível ontem. E tem a ver com o caos que vocês estão investigando.

O homem respirou fundo. Os dedos das mãos estavam entrelaçados como forma de conter sua inquietude.

— Meus anos na Marinha me ensinaram algumas táticas cruciais, policial. Uma delas é espalhar o caos como forma de distração para manter os inimigos distraídos enquanto o plano maior é executado sem nenhum agente de resistência. Vocês estavam desde ontem investigando o lugar errado.

— O que quer dizer com isso?

— Vocês encontraram alguma pista do que eles queriam no Museu Oceânico?

Anabel ficou em silêncio. Era verdade que não havia nenhum vestígio dos planos da Team Aqua ao atacar o museu. O que a intrigava era o fato de que tudo aquilo parecia apenas um ato ordinário de vandalismo, o que não era esperado vindo de um grupo grande e organizado.

— Vou lhe contar uma coisa que eu acho que não deveria revelar, mas a situação exige isso. Eu estava desenvolvendo um novo transporte para a Marinha. Meu projeto consistia em pequenos submarinos para grupos pequenos de tripulantes, mas que pudesse se locomover rapidamente pelos mares, mesmo estando submerso. Hoenn é uma região pacífica, mantém boas relações com as outras. Mas esses veículos seriam utilizados com a finalidade de patrulhar os nossos mares. Interceptar piratas e contrabandistas.

— Entendo, mas onde quer chegar?

— Ontem, enquanto assistia o noticiário ao vivo sobre o que estava acontecendo no museu, fui rendido por um grupo de membros da Team Aqua que conseguiram entrar aqui vai saber como. Eles roubaram o projeto.

A expressão de Anabel foi de espanto, algo raro de ver a mulher externar. Ela logo compreendeu a dimensão do problema que estariam enfrentando caso os criminosos transformassem aquele projeto em algo real.

— Se eles tiverem máquinas como essa eles poderão se locomover em alta velocidade por todo o litoral de Hoenn. E nem estou cogitando a ideia deles transformarem essas embarcações em modelos armados, o que é possível de ser feito.

Anabel se levantou da cadeira, fez um cumprimento ao capitão e se preparou para ir embora.
— Vamos ter que mobilizar mais forças para impedi-los. Enquanto ainda é cedo — ela se virou para um dos seus assistentes. — Quero uma reunião com a Elite tão logo eles possam me atender.

• • •

Miriam se sentia em um beco sem saída ao se ver sentada em sua cama no quarto do Centro Pokémon, com Ruby e Sapphire em frente à porta a encarando com expressões sérias. Era a manhã seguinte ao ocorrido no museu. Ruby estava mais incomodado do que de costume, tendo em vista que o contest do qual participaria havia sido adiado por conta da confusão causada pela Team Aqua.

Já Sapphire, sempre alegre e cheia de energia, agora estava séria e retraída. O clima no quarto não chegava a ser pesado, mas algo estava estranho.

— Então... — Miriam tomou a dianteira da conversa. — O que mais vocês querem saber? Acho que já contei tudo ontem.

— É, acho que ficou tudo esclarecido — Sapphire estava recostada em uma parede com os braços cruzados.

Ninguém tentava dizer qualquer coisa, o silêncio era agoniante. Ruby foi o primeiro a sair do lugar. Caminhou até a sua cama e agarrou sua mochila pela alça, tomando em seguida o caminho até a porta do quarto.

— Eu não vou ficar aqui aturando essa situação. Vou aproveitar que o contest foi adiado e vou praticar. Vejo vocês na hora do almoço.

— Eu também estou indo treinar um pouco. A gente se fala depois — disse Sapphire.

— Ok — Miriam permaneceu sentada na cama, aguardando a saída de sua companheira.

Agora que estava sozinha sentiu seus ombros mais leves. Enfim podia relaxar um pouco, saindo daquela situação sufocante. A garota se levantou e andou até a janela do quarto, que dava vista para a principal rua da cidade. Virando a cabeça para um dos lados era possível ver até mesmo um pequeno pedaço do mar. Não era uma vista como a dos principais hotéis da cidade, mas pelo menos não era tão longe da praia para que ela fosse impedida de ver melhor o cenário.

Decidiu que não ia ficar sozinha ali. Arrumou sua mochila e saiu daquele lugar para poder andar pela cidade. Ao atravessar a porta do Centro Pokémon Miriam foi recepcionada pelo vento fresco típico da cidade. Da primeira vez que estivera ali, logo que desembarcou do navio vindo de Kanto, ela não havia tido a oportunidade de conhecer melhor Slateport. Ali, agora, estava sua chance, até mesmo por não depender de outras pessoas.

— Agora estou livre do meu emprego e tenho um tempo só pra mim — disse consigo mesma após respirar fundo. — Quero que essa tarde seja uma oportunidade de criar boas lembranças pro futuro!

• • •

O jeito provocativo de Courtney caminhar quase conseguia disfarçar o ar de preocupação que pairava sobre os membros da Team Magma. A mulher andava depressa pelos corredores da sede da organização, indo em direção à sala do líder.

Por onde passava era cumprimentada pelos guardas de prontidão, mas ela se mantinha quieta. Seu olhar era sério e sua mente sobrecarregada só a fazia desejar poder terminar tudo que tinha para fazer o quanto antes.

Ao passar pela porta automática percebeu que os dois membros que formavam o alto escalão com ela já estavam presentes. Tabitha estava quieto, com uma feição séria, aguardando a chegada da mulher para que a reunião tivesse início. Ele ocupava o mesmo cargo de executivo da organização em que Courtney atuava. Acima deles estava o terceiro membro na sala, líder de toda a equipe. Um homem que já era demarcado por traços da idade, mas que se mantinha com postura firme perante seus subordinados, sem demonstrar fraqueza alguma. Seu cabelo era médio e rubro como o interior de um vulcão ativo. Os olhos cansados e contornados pelo tom escuro de suas olheiras se escondiam atrás dos óculos que usava.

— Peço desculpas pela demora, Sr. Maxie — disse Courtney com cordialidade. — Estive até agora finalizando os preparativos para nossa próxima missão.

— Sente-se — disse o líder, sem demonstrar qualquer reação ao atraso de sua subordinada, que não tardou a seguir a ordem. — Nosso informante dentro da Team Aqua nos comunicou alguns fatos preocupantes. Pelo que parece eles roubaram um projeto de veículo sub-aquático que estava sendo desenvolvido para a Marinha. Com isso o poderio tecnológico deles vai avançar. Isso vai tirar a vantagem que até agora tínhamos sobre eles.

— Não é hora também de pensarmos em transportes aquáticos para nossa organização? — questionou Tabitha.

— Com eles agindo submersos não seria nem um pouco prudente ficarmos expostos no meio do mar. Até porque lá eles terão o terreno todo a favor em um provável combate — analisou Courtney. — Temos então que nos reforçar mais ainda para garantir que sejamos superiores em terra firme.

— Ou então avançar mais com nosso plano e despertar a criatura primordial.

— Exatamente como o Tabitha disse, a hora agora é de acelerar as etapas do nosso plano — Maxie tomou a fala de volta. — O próximo passo é irmos para Mauville para pegar o gerador da usina termoelétrica da cidade.

Courtney e Tabitha assentiram, mostrando conhecerem todo o procedimento de como aquela etapa seria executada. Maxie, no entanto, continuou seu discurso.

— Temos um problema, porém. Nossa fonte informou que a Team Aqua está com a mesma pretensão, e já começou a se preparar para ir lá pegar o gerador — o líder cerrou o punho com tamanha força que parecia estar tentando esmagar algo. — Parece até que eles estão lendo nossos movimentos. Temos que chegar lá antes deles! Não deixem que aqueles canalhas tomem a dianteira que lutamos tanto tempo para manter!

— Sim, senhor! — os dois executivos assentiram em uníssono, batendo continência.

— A reunião acabou. Daqui vocês dois vão direto preparar as equipes que vão para a operação em Mauville. Temos que ser rápidos como nunca.

Courtney e Tabitha saíram da sala às pressas. Maxie permaneceu sentado em sua cadeira, com os olhos fechados e uma expressão pensativa.

— Archie, eu sei o que você está planejando. Você vai pagar por ter entrado em nosso caminho, seu verme imundo.

• • •

Miriam caminhava em direção à praia ao sul da cidade. Mantinha as mãos nos bolsos da calça e andava cabisbaixa, pensativa, desviando de pessoas e obstáculos sempre que sentia sua aproximação. Sua atenção era dispersa e seu olhar vago. Parecia desapontada.

Passou em frente ao farol da cidade e lá foi abordada por Ethan, que observada o local em volta.

— Olha que farol maneiro que eles têm aqui! — disse o rapaz. — Sabia que eu já tive uma batalha que fez um farol ser demolido?

— Deve ter sido divertido — foi tudo que a menina conseguiu dizer enquanto continuava seu caminho sem parar para mais nada.

Ao enfim chegar à praia Miriam procurou o lugar mais isolado, onde pudesse ficar sozinha. Encontrou o lugar ideal atrás de algumas rochas, ficando lá apenas a observar o mar enquanto refletia.

Sabia que Ruby e Sapphire não estavam satisfeitos com a sua identidade dupla. Não entendia sequer por que razão eles haviam se colocado à sua frente para defendê-la quando foi repreendida por Anabel. Talvez fosse por pena, ou então algum último vestígio da amizade que construíram nesses poucos meses que passaram viajando juntos.

— Não dá pra culpar os dois, eu também ficaria indignada se alguém mentisse pra mim por tanto tempo — sussurrou, sabendo que ali não seria ouvida. — Acho que a partir daqui eu vou ser um incômodo se as coisas continuarem do jeito que estão.

A garota sacou as três Pokéballs que carregava consigo, trazendo sua equipe. Nidoqueen, Venomoth e a pequena Mudkip estavam agora ao lado de sua treinadora.

— Bom, posso dizer a vocês que agora estamos livres. Eu pedi pra sair da polícia e não trabalho mais para Anabel. Podemos focar total agora nos treinamentos e na Batalha da Fronteira!

Os três companheiros de Miriam pareceram bastante animados com a ideia de que poderiam focar em uma aventura sem nenhum tipo de obstáculo. A treinadora sorriu com a reação de sua equipe. Mesmo que já esperasse por uma resposta positiva ela ainda se sentia feliz em saber que todos eles estariam bem mais satisfeitos dali em diante.

— Não vou precisar esconder mais minha identidade verdadeira. Não vou precisar mais mentir pras pessoas sobre quem eu sou — a menina parou de falar por um breve instante, jogando uma mecha de cabelo para a parte de trás da orelha. — Nem todo mundo aceitou conhecer quem sou de verdade, mas isso não importa mais. Ver vocês felizes foi a prova que eu precisava de que tomei a decisão certa. Vamos dominar essa região toda. Só temos uns aos outros, mas isso já é mais que o suficiente!

Ela puxou de dentro de um dos seus bolsos sua licença de treinadora, tão sonhada alguns anos atrás. Era sim uma treinadora mais experiente que Ruby e Sapphire, mas teve apenas um ano viajando em jornada. Logo após sua primeira disputa em uma Liga Pokémon, onde foi derrotada ainda na primeira fase, Miriam largou de lado seu sonho, se privando do direito de continuar insistindo e treinando para ficar melhor.

Seus Pokémons aos poucos foram perdendo o interesse em continuar com a menina. Nidoqueen e Venomoth foram os únicos que mantiveram sua lealdade. Em Hoenn ela estava começando praticamente do zero, e mesmo assim escolheu competir na Batalha da Fronteira para que pudesse provar para si mesma que era capaz de superar um grande desafio.

— Se há um momento para voltar atrás, é esse — ela disse. — Eu cometi um grande erro ao não tolerar minha inexperiência.

Ela se virou para sua equipe novamente, focando o olhar mais nos seus dois parceiros mais antigos.

— Por causa disso os nossos antigos amigos acabaram indo embora. E mesmo na época eu não dei importância. Só agora percebi que a culpa foi toda minha. E vocês ainda assim ficaram ao meu lado. Minha melhor forma de corresponder é levando nosso time cada vez mais para o alto.

Nidoqueen parecia se alegrar a cada fala de Miriam. Sentia sua inspiração voltando, já conseguia imaginar sua mestra e melhor amiga voltando a ser quem era. Venomoth era mais reservado, mas era possível notar sua satisfação. A única que ainda parecia um pouco perdida era a Mudkip, que era a novata naquele time. Mas Miriam logo tratou de solucionar as dúvidas da pequena anfíbia.

— E quanto a você, não se preocupe. Nós vamos treinar bastante para que você fique tão forte quanto eles dois. Vou precisar de ajuda nas próximas batalhas, e acho que você tem um grande potencial escondido.

Miriam retornou sua equipe para as Pokéballs, as guardou e encarou a cidade que se estendia após a praia. O ponto onde desembarcara para iniciar sua viagem por Hoenn seria agora o mesmo que lhe daria a oportunidade de um recomeço, dependendo apenas de sua própria vontade.

— Só tenho mais uma última coisa a resolver antes de ir em frente.

Miriam então prosseguiu em direção à cidade, bem mais eufórica do que esteve durante aquele dia inteiro. Dali de perto um garoto de cabelos loiros a observava de trás de um poste, com um sorriso misterioso.

— Finalmente encontrei uma.

• • •

— Estou de volta — disse Ruby que entrava no quarto do Centro Pokémon se espreguiçando. — O treinamento tem sido bem produtivo. Treecko está começando a corresponder bem. Acho que ele anda de bom humor desde aquela batalha contra a Team Aqua... Sapphire?

A menina estava bem quieta, diferente do normal. Em sua mão um pedaço de papel com algo escrito. Ruby deduziu que fosse um bilhete, e sua suspeita logo foi confirmada por Sapphire quando a mesma o estendeu a ele.

— Leia.

O coordenador pegou o bilhete das mãos de sua amiga. Começou a sussurrar o conteúdo, ficando surpreso a cada nova linha escrita.

— “Sinto que as coisas ficaram um pouco complicadas depois que tive que explicar tudo que estava acontecendo. Nunca tive a intenção de esconder nada de vocês, mas era o meu dever naquele momento. Não os culpo por estarem desconfiando de mim agora, sei que não é fácil sentir segurança na presença de uma pessoa que acabamos de perceber que não era quem conhecíamos. Eu mesma não me conheço agora, por isso estou deixando o grupo para que eu possa seguir meus passos sozinha e assim me descobrir. Que um dia qualquer a gente possa se reencontrar em circunstâncias mais leves. Até lá fiquem bem e busquem seus objetivos com tudo que têm. Abraços, Miriam.” Nossa. Por essa eu não esperava.

Sapphire estava calada. Ainda não havia conseguido processar a informação. Ruby não parecia abalado como a garota, porém não escondia um semblante de culpa.

— Será que tem alguma forma de reverter isso, Ruby?

— Acho que sim, mas não agora. Já nem sabemos onde ela pode estar agora. Talvez já tenha até saído da cidade. Mas agora não adianta mais. O que a gente pode fazer é focar no que temos de desafios pela frente, seguir nossa jornada e torcer para que um dia a gente volte a encontrá-la.

Ruby foi tomar seu banho. Sapphire por ter chegado antes do garoto já havia feito o mesmo minutos antes. Daqui a pouco desceriam até o refeitório para jantar, e lá eles teriam pela primeira vez naquela jornada a sensação de que a mesa estava vazia.

FIM DO CAPÍTULO 21

  


{ 12 comments... read them below or Comment }

  1. Well, eu vim tarde comentar, mas vim.

    Well, aqui temos a revelação de que os eventos dentro do museu lá foram só distração, e que a realidade é que uma equipe destacada iria roubar o projeto do Capitão Stern, e roubou mesmo. A Anabel só foi saber disso porque o próprio capitão foi relatar o ocorrido. E ISSO LEVA A ANABEL A PEDIR REUNIÃO COM A ELITE.

    Enquanto isso, na ponte que caiu...

    Ruby, Sapph e Miriam estão num clima tenso, e acabam indo cada um cuidar dos seus próprios assuntos. Em outro lugar onde Judas perdeu as botas é mostrado uma cena na qual estão presentes os membros da Team Magma, que claramente não está satisfeita com o outcome da situação dos Aqua, e decide acelerar os planos que tinham.

    Miriam, enquanto isso, vaga pela cidade pensativa, passando por um Ethan animado com o farol e seguindo até a praia, onde vai pra um local isolado. Ali ela acaba se animando aos poucos, iluminando seus pensamentos no seu próprio ritmo, para a alegria de seus pokémon, até que enfim se motiva a seguir em frente, mas não antes de resolver uma pendencia...

    Ruby após um dia de treinamento produtivo chega no Centro e encontra uma Sapp com um bilhete, bilhete este que ela manda que seja lido. O jovem lê e vê que se trata de um bilhete de despedida por parte de Miriam. Com isso ambos ficam meio cabisbaixos, mas sem curso de ação senão seguir em frente com a vida, sentindo uma espécie de vazio por causa da falta da companheira de viagem.

    Valeu aí Sombra Zangoose! Até depois!




    ReplyDelete
    Replies
    1. A Team Aqua planejou a distração, e as autoridades caíram até que com facilidade. Anabel foi descobrir isso apenas depois que foi chamada ao estaleiro do porto, onde Stern revelou o que havia realmente acontecido.

      A relação do trio parece não ter ficado tão boa quanto o final do último capítulo fez parecer. Isso leva a Miriam a tomar uma medida drástica, que foi retirar seu time de campo e seguir viagem sozinha. Como Ruby e Sapphire vão lidar com isso só o tempo dirá.

      Valeu Napo, até a próxima! õ/

      Delete
  2. Minha sombra amada e respeitada
    Sinto que vossa autoria é mais profunda que a luz que lhe cria
    Vejo a imensidão de sua existência com a mesma magnitude da vastidão do oceano em uma ilha deserta.

    Team Aqua e Magma começaram seus jogos de Gato e rato! Logo as coisas vão esquentar ainda mais em Hoenn.

    Anabel descobrindo que nada sabia dos planos de Aqua ._. policial ruim de mais kkkkk, agora que perdeu a única agente decente dela, ela vai ficar perdida!

    Ahhh queria ver os 3 continuando juntos, uma pena ver que a Mirian decidiu deixar o grupo.

    Continue com a sua história Shadow, Vejo você na próxima!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Comentário começando com poeminha! Eu nunca tinha recebido algo assim ç_ç

      Sim, agora as peças começam a se mover no tabuleiro. Team Aqua e Team Magma vão começar aquele cabo-de-guerra que todo mundo já espera. Basta aguardar pra ver quem vai tomar a dianteira.

      Cara, não subestime a Anabel. Ela é uma das mentes mais brilhantes de Hoenn, e vai conseguir se virar tranquilamente sem a Miriam, que era só uma estagiária. O que aconteceu é que a Team Aqua foi capaz de arquitetar muito bem seu plano colocando uma distração bem barulhenta para que ninguém soubesse o que realmente estava acontecendo por trás das cortinas.

      Os três estando juntos geram ótimos momentos, mas acredite em mim. A separação vai ser boa para o desenvolvimento de todos eles. E estarem separados agora não significa que eles não podem voltar a caminhar juntos. AEH é isso, são várias histórias diferentes se cruzando a todo momento. A Miriam ficou com eles durante um bom tempo, mas ela também tem sua própria história.

      Até a próxima! õ/

      Delete
  3. Oi amigão Shadow!

    Aqui vemos, preciamente, as consequências do último capítulo da aventura do nosso trio... dupla... (?)

    No lado mais misterioso da história, percebemos que o ataque da Team Aqua serviu apenas de distração para o verdadeiro plano que eles pretendiam realizar. Anabel e todas as autoridades foram enganadas com sucesso, o que faz com os vilões saiam na frente nesta corrida até ao poder. Por outro lado, a Team Magma parece tentar alcançar os seus rivais. Aqui não deixo de sublinhar a questão do espião infiltrado na Team Aqua, que lhes fornece informação. Agora questiono, será que também há um espião infiltrado na Team Magma? E assim, as duas organizações têm conhecimento dos planos uma da outra? Eu penso que é bem provável que isso esteja a acontecer.

    Na esfera do trio protagonista, vemos, essencialmente, o sentimento de culpa e vergonha que Miriam sente depois das revelações sucedidas. Ao mesmo tempo, ela percebe este acontecimento como uma forma de se focar nos seus verdadeiros objetivos. Assim, reúne a sua equipa, prometendo que, dali em diante, o seu objetivo será atingindo dê por onde der.
    Ruby e Sapphire, por outro lado, surpreendem-se quando percebem que o terceiro elemento do grupo decidiu abandoná-los. O momento é duro e um tanto triste, no entanto, a treinadora e o coordenador decidem continuar em frente, rumando na direção dos seus objetivos pessoais e esperando que, no futuro, possam reencontrar a amiga.

    O meu coração ficou triste, mas ao mesmo tempo feliz por estes acontecimentos. Tenho a certeza que Miriam ficará mais forte, obrigando-se a sair por ai fora sozinha só com os seus Pokémon. Tenho muita curiosidade para ver o seu futuro!

    Bom trabalho, Shadow! Até!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fala Angie! Beleza?

      Sim, a Team Aqua jogou uma isca bem barulhenta que deixou todo mundo com a atenção voltada apenas para a superfície do problema. Eles podem resolver as coisas na base da pancadaria e destruição, mas não significa que eles não sejam organizados.

      A respeito dos espiões infiltrados, provavelmente também há alguém transferindo informações dos Magmas pros Aquas. As duas organizações vivem em guerra, então sai em vantagem quem tiver domínio sobre mais informações.

      Miriam sabe que escondeu muita coisa de Ruby e Sapphire, mas sabe que esse era seu dever, pela segurança de ambos. Mesmo assim eles não entenderam a situação como deveriam e a confiança foi quebrada.

      Mas é como você disse. Eles tiveram um choque ao vê-la ir embora, o que quer dizer que esse tratamento ruim talvez tenha sido involuntário. Talvez tenha sido um instinto que causou toda essa desconfiança. Vamos ver se algum dia eles se juntam novamente.

      Até a próxima, Angie! õ/

      Delete
  4. E pensar que Slateport, aquela cidade alegre de feirinhas e contests acabaria por ser um momento derradeiro para nosso trio :') Não tem como criticar as atitudes do Ruby e a Sapphire, é decepcionante descobrir que alguém que acreditávamos saber tudo de repente tinha uma máscara, e aí você descobre que não sabia porcaria nenhuma sobre ela. A Miriam fez sua parte e tentou explicar, mas aí aceitar tudo que rolou ou não é outra história. Essa separação será excelente para o desenvolvimento particular de cada um cara, trabalho em dobro para você que vai precisar amarrar todos os núcleos e descrever muito mais coisas acontecendo de forma simultânea, mas isso abrirá espaço para novos rostos, rivais e desafios, como o sujeito loiro suspeito que os vêm seguindo desde então.

    Courtney dando seu ar de graça para a história, estou gostando de ver como você equilibra os planos dos Aquas e os Magmas, a forma como cada um dos líderes está sempre tentando antecipar qual será o plano do outro, posicionando suas peças no tabuleiro. Pô, e esse parágrafo do finalzinho é de deixar qualquer um de coração partido, a tensão e o desamparo sentido pelos personagens durante todo o capítulo foi ótima. Acho que ainda teremos de nos acostumar com esse clima novo, a falta dos momentos descontraídos entre os personagens, e comecem as tretas uma atrás da outra kkkkkk Sabe-se lá quando esse grupo vai voltar a se unir, não tenho nem hipóteses cara haha Grande abraço!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Slateport não é mais a mesma. ç_ç

      E pensar que foi aqui que a Miriam desembarcou, ainda trazendo toda aquela atmosfera descontraída dela, e logo aqui as coisas começam a dar errado em sequência. É exatamente isso que você falou, apesar do trabalho a mais para poder descrever a caminhada deles separados, isso vai compensar com a evolução que eles terão agora que não precisam se segurar por conta do grupo como um todo. Eu até comentava esses dias com o Dento que talvez o que mais vai se beneficiar disso é o Ruby, porque ele de fato ficou muito pra trás comparado às meninas, a disparada de nível delas foi muito grande e ele ficou estagnado em uma evolução lenta. Mas ainda nesse arco de Slateport já vamos conseguir ver uma evolução discreta no menino Rubinho.

      Ah, Courtney! Eu sabia que você não ia deixar a presença dela passar despercebida. Cara, na AEH antiga a Team Magma ficou com praticamente todo o destaque. Não vimos quase nada da Team Aqua, e aquilo foi um problemaço. Aqui estou tentando dividir mais o foco entre as duas. A Team Magma apareceu primeiro, aí vieram duas aparições dos Aquas tomando a dianteira, e agora a Team Magma volta aos holofotes para correr atrás do prejuízo. E vai ficar nesse cabo de guerra até a hora que as duas organizações resolverem entrar na porrada pra valer.

      O clima descontraído ainda vai voltar. Não dá pra saber quando, porque tudo vai depender de como vai seguir a aventura deles e de cada um dos outros personagens. Mas sabemos que é apenas um momento passageiro e que coisas boas também estão por vir. Se os momentos bons não duram para sempre, os ruins também não. Ainda tem muita coisa legal e muita merda pesada pela frente, mas vamos tentando alternar pra também não deixar tudo muito desequilibrado kkkkkkkkkk

      Até a próxima, bro! õ/

      Delete
  5. Cá estou, escrevendo esse comentário em plena sexta de manhã, pode admitir, sou o leitor mais fiel que existe. Todos sabem disso hahaha

    Ótimo capítulo, como disse anteriormente nas notas, algumas lacunas das quais me fizeram sentir o contexto sendo um tanto contraditório foram preenchidas, assim resolvendo a problemática. Não tenho muitos aspectos a levantar sobre a presente parcela, em suma tudo foi bem estruturado, apresentado e desenvolvido. A decisão de separá-los foi a mais coesa a ser tomada, ansiava por isso, uma vez que o clima seria pesado e não mais natural entre nosso trio de aventureiros.

    O único acontecimento que gostaria de comentar é sobre a reação de Anabel que soou bastante sintética. Por quê? Sendo ela de uma grande organização e ocupando um cargo alto, não deveria estar preparada para deduzir algo do patamar? Não é tão difícil perceber que a invasão no museu não teve impacto algum lá, ou seja, estariam por trás de outra coisa. Talvez seja apenas meu senso crítico, porém senti uma pitada de roteiro que a tempos não via sendo tão nítida. Não atrapalhou minha experiência, todavia creio que a abordagem poderia ser mais "pé no chão" considerando a maturidade e experiência que a personagem possui.

    Enfim, achei muito bacana o capítulo em sua maioria e nem sei o que esperar dos próximos. Tô ansioso, viu?

    Sayoo 0/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Você tá fechado com Hoenn desde as eras primordiais kkkkkkkkkkkkkk

      Sim, o vacilo da cena inicial foi grave, mas pelo menos consegui introduzí-lo no começo da história e dar uma corrigida no improviso. Teve coisas em histórias antigas que deixei passar direto e não foi legal kkkkkkkkkk

      Cara, a Team Aqua é uma organização criminosa muito bem organizada. Todo o planejamento deles é feito de forma a remover os obstáculos da maneira mais eficaz possível. A Polícia Internacional é um desses obstáculos. Fora o fato de que havia uma situação crítica no museu, então eles precisaram manter as forças por lá para conter o ataque. A Polícia Internacional atuando em Hoenn é uma equipe pequena. A maioria ali eram policiais convencionais sendo coordenados por eles. Mas a Anabel ainda vai demonstrar suas capacidades em breve, pode aguardar. ;)

      Valeu pela presença, mano! Até a próxima! õ/

      Delete
  6. MANO MAS O QUE ACONTECEU AQUI?
    Eu achava que tava tudo ocorrendo bem e do nada, bum! Esse capítulo vem e me atinge igual uma bomba atômica, caraca vei, eu não esperava por essa despedida da Camila/Miriam, justo meu xodózinho de AEH. Sacanagem hein, Shadow.
    Tirando esse enorme contratempo agora temos um pouco da Equipe Magma que sabe dos planos da Equipe Aqua e que eles queriam os submarinos q o Cap Stern estava pensando em produzir, porra, vei, isso vai dar mto pano pra manga e agora eu empolguei, quero saber o que vai acontecer a seguir. Tô ansioso Shadow, vou rushar e ler o próx cap

    ReplyDelete
    Replies
    1. O que parecia ser um desfecho positivo no último capítulo virou completamente do avesso nesse, não é? :v

      Talvez a reação inicial de Ruby e Sapphire perante Anabel foi a de proteger Miriam de alguma forma. No calor do momento, com a adrenalina ainda em alta, eles foram guiados pelos instintos. Mas depois que a poeira foi baixando todos os detalhes acerca da verdade que foi ocultada, mais a posição de risco em que a Miriam se encontra, foi determinante pra causar uma desconfiança natural. Se eles vão se reunir algum dia só o tempo dirá, mas se a gente ler o instinto de proteção que eles tiveram, mesmo em um momento de adrenalina como eu falei, então podemos dizer que mesmo que seja a Miriam e não a Camila, alguns sentimentos de Ruby e Sapphire com relação a essa pessoa ainda são verdadeiros apesar de tudo. Dado isso, é fácil prever que eles vão sim sentir essa ausência.

      Essa treta entre Team Magma e Team Aqua está só começando. Vai ser uma briga de gato e rato intensa, isso sem contar a polícia que deve estar doida pra participar da brincadeira kkkkk E não estamos longe de ver alguns resultados disso.

      Valeu pela presença aqui, meu caro! Você está quase terminando o longo arco de Slateport. Foi uma estadia demorada se comparada às outras cidades, mas é porque tinha bastante informação pra botar na história. E se prepara, que Mauville não vai ficar pra trás nesse quesito!

      Até a próxima! õ/

      Delete

- Copyright © 2013 - 2018 Aventuras em Hoenn - Shadow - Powered by Blogger - Designed CanasOminous -