Postado por : ShadZ Jun 26, 2020

Luz do dia


Os primeiros raios de sol daquele dia traziam à tona os efeitos do caos criado na noite anterior em Mauville, fruto de uma tentativa frustrada de ambas as organizações Team Aqua e Team Magma de realizar um ataque à usina elétrica de Nova Mauville para obter o gerador principal, por razões ainda desconhecidas.

Na porta do local do conflito a equipe enviada pela Polícia Internacional coletava os depoimentos do grupo de treinadores envolvidos na ocorrência, os poucos que se atreveram a fazer frente à ameaça das duas facções criminosas que mantinham as autoridades da região de Hoenn em constante estado de alerta.

O grupo formado por Roxanne, Wattson, Ruby, Sapphire e Zinnia, liderados por Steven, compartilhava todas as informações obtidas durante o conflito. Vince, que também havia ajudado, ainda que suas razões para isso fossem um completo mistério, desapareceu assim que os criminosos bateram em retirada, sem dar chance a mais ninguém de conseguir informações sobre ele também.

Anabel estava ao telefone, repassando as anotações que havia feito dos depoimentos das testemunhas. A mulher parecia incomodada, como quem tinha que suportar uma considerável carga de frustração. Afinal, era seu trabalho rastrear as duas organizações, mas a dificuldade em antecipar seus últimos passos era evidente.

— É como eu disse, Looker. A única atualização que temos é que o alvo deles era o gerador principal da usina — dizia a Cérebro da Fronteira. — Ao menos eles conseguiram interceptá-los. Steven deu conta do recado. Penso inclusive que deveríamos deixar que ele e Roxanne se tornassem parte da força-tarefa para contra-atacar as duas gangues. Eles têm feito um ótimo trabalho, descobriram muito sobre esses bandidos mesmo não tendo os recursos que temos... Certo. Certo. Sim. Então conversamos depois. Eu vou desligar, quero concluir as investigações por agora e levar as evidências para analisarmos na central. Até mais tarde.

— Difícil de negociar? — Steven chegava com uma xícara de café em mãos, oferecido por alguns policiais para amenizar o desgaste daquela investida que durou a noite inteira.

— O superintendente é bastante cabeça-dura — Anabel massageava as têmporas numa tentativa de aliviar as suas perturbações. — Mas não se preocupe, eu o conheço há bastante tempo. Ele vai valorizar o apoio de vocês após uma boa conversa.

— Fico feliz em ouvir isso — disse o Campeão. — Podemos ser de funções diferentes, mas temos um interesse em comum. Não vejo razão para não colaborarmos. Isso só facilitaria a situação para eles.

Perto de onde os dois conversavam, o grupo formado por Ruby, Sapphire e os dois líderes de ginásio conversavam. Zinnia se mantinha por perto, escutando a conversa com atenção.

— Três insígnias, não é mesmo? — Roxanne sorria para a menina. — Você evoluiu muito em tão pouco tempo que eu não consigo parar de me surpreender com seu talento, Sapphire!

— Mas foram três insígnias conquistadas com muito trabalho. Ainda tenho muita coisa pra melhorar, mas eu tô focando em uma etapa de cada vez.

— Quando a Roxanne me disse que uma treinadora novata quase gabaritou o exame dela eu fiquei curioso. Mas não sabia que tinha sido você — disse Wattson. — Agora tudo tá explicado!

— Sapphire, eu posso te perguntar uma coisa? — a líder de pedra a encarou de forma direta, já dando indícios de que o assunto mudaria.

— Hã? Claro que sim! O que houve?

A mulher encarou a treinadora novata, mantendo seu olhar de curiosidade. Roxanne não sabia como começar aquela conversa de uma forma que não ficasse estranha, mas depois de refletir um pouco chegou à conclusão de que o melhor a se fazer era ser direta. Ela respirou fundo e fez a pergunta que desde a batalha da noite anterior martelava a sua mente.

— Eu notei durante nossa batalha contra a Team Aqua que você chamou o seu Combusken de Dante.

— É mesmo! — exclamou Ruby. — Eu me lembro de você também ter chamado ele assim durante a sua batalha com Wattson!

— Foi você que deu esse nome a ele? — indagou a mais velha.

Sapphire ficou surpresa. Ela sequer havia percebido que aquilo acontecera duas vezes. O nome apenas surgiu na sua cabeça, como se já soubesse aquela informação há muito tempo, e apenas a replicava com naturalidade.

— Não fui eu quem deu esse nome a ele, e nem sei dizer de onde veio — disse a menina, coçando a parte de trás da cabeça com uma expressão de dúvida. — Era como se eu já soubesse há tempo que o nome dele é esse.

— Significa que você alcançou o interior de seu Combusken.

Todos voltaram a atenção para Zinnia, que comia uma berry encostada a uma árvore. Quando terminou, a mulher limpou a boca com o antebraço e caminhou até Sapphire, com seus olhos negros quase penetrando o fundo de sua alma.

— Suas mentes finalmente se interligaram. Parabéns, isso é um feito e tanto para um treinador iniciante.

— Eu lembro de você. É a pessoa que encontramos uma vez na Caverna de Granito, perto de Dewford. Como você sabe disso? — Sapphire permanecia confusa.

— Digamos que eu sou uma pessoa que gosta de observar o mundo à minha volta — Zinnia respondeu guardando certo mistério.

— Não acho que seja só isso — rebateu Roxanne. — Você tem habilidades avançadas como treinadora e dominou um Pokémon do tipo dragão. Suas vestes, seus traços físicos, seu conhecimento sobre a natureza dos Pokémons e seus laços com a humanidade... E pensar que chegaria o dia em que eu conheceria uma draconid em carne e osso.

Todos viraram seus olhares de Roxanne para Zinnia quase que automaticamente. Wattson estava abismado, enquanto Ruby e Sapphire sequer tinham ideia do que estava sendo discutido naquele momento.

— Heh, eu sabia que não podia subestimar você, Roxanne. Mesmo entre a nossa tribo você é famosa pela quantidade de conhecimento que foi capaz de acumular até hoje.

— Fico lisonjeada em ser reconhecida pelos detentores de uma cultura tão rica. Mas o que você faz aqui tão longe de suas terras? Não achei que fosse prática comum dos draconids andarem por outros lugares em Hoenn.

— E não é. Mas eu gosto de respirar novos ares — Zinnia então trouxe sua atenção de volta para Sapphire. — Mas o que importa agora é que você descobriu a interconexão entre você e seu Pokémon, garota! Isso é realmente incrível. Dos poucos treinadores que alcançam esse feito, e a Roxanne é um exemplo disso, a maioria leva anos para obter esse poder. Você ter conseguido isso tão cedo diz muito a seu respeito.

A conversa se desenrolava entre o grupo enquanto Zinnia era observada por Steven, mais afastado e já sem a presença de Anabel, que havia saído para dar continuidade ao processo de investigação. O Campeão sacou um PokéNav de um dos bolsos de seu paletó e fez uma rápida ligação.

— Drake, nós podemos conversar um minuto?

• • •

Mais tarde naquele dia Anabel estava de volta ao escritório onde a Polícia Internacional estava instalada durante sua estadia em Hoenn. O local ficava em Lilycove, já que a cidade possuía uma saída fácil para o mar em quase todas as direções.

A mulher estava com algumas fichas empilhadas em sua mesa, conferindo uma por uma e realizando anotações a todo momento. O foco no trabalho era tamanho que seu copo de café estava quase cheio, e já havia esfriado. As olheiras escuras contrastavam bastante com sua pele bem branca, indicando sinais claros de exaustão. Ela lutava contra si própria para não pregar os olhos antes de ter aquilo tudo terminado.

— Isso não vai acabar nunca — desabafou enquanto jogava as costas contra o encosto da cadeira e esfregando os cabelos com suavidade.

— Senhorita Anabel, recado urgente — naquele exato momento um policial atravessou a porta da sala. — O Superintendente Looker está solicitando uma videoconferência em quarenta minutos. Devo avisá-lo que está ocupada?

Anabel encarou o rapaz por alguns segundos, deixando-o desconfortável. Após refletir bastante, a moça sorriu com gentileza e pegou o copo de café pela primeira vez desde que havia chegado.

— De forma alguma. Pode dizer que estarei lá. Preciso falar com ele também.

— Sim, senhora! — o oficial bateu continência e deixou a sala.

Anabel bebeu o café frio, resistindo à amargura da bebida para que pudesse se manter firme. Aquela reunião com o superintendente poderia significar a conquista de um plano o qual ela já vinha traçando há algum tempo. Não podia vacilar, não naquele momento.

Foi então que ela se levantou de sua mesa. Resolveu que iria até a cantina pegar algo para comer enquanto pensava na melhor forma de apresentar sua proposta ao homem que chefiava a operação contra as equipes Magma e Aqua remotamente.

Anabel enfim saiu da sala, deixando apenas as fichas na mesa. Estas possuíam dados de alguns treinadores notáveis da região, dentre eles Steven e Roxanne, os dois que lideravam uma busca de informações daqueles criminosos de forma independente. O que ela faria com aqueles dados era ainda um mistério.

• • •

Com tudo voltando à rotina, Sapphire e Ruby resolveram tirar o dia para descansar. Decidiram que a estadia em Mauville duraria pelo menos mais uma semana, já que eles precisavam relaxar depois de tantos acontecimentos em sequência.

Os dois estavam no quarto do Centro Pokémon. O menino lia algum guia sobre treinamentos voltados para a Coordenação Pokémon, enquanto a garota apenas havia se jogado na cama e apagado por completo.

Ruby a observou por um breve instante. Sapphire havia despertado uma atenção especial por parte do garoto desde a batalha contra Wattson, onde um ponto chave era a causa de tamanha curiosidade.

— Interconexão entre treinador e Pokémon... — sussurrou, logo em seguida voltando seu olhar de Sapphire para suas Pokéballs em cima da mesa que havia ao lado da cama. — Imagino como deve ser poder ter uma relação tão próxima com os Pokémons.

Seus devaneios foram interrompidos quando Sapphire começou a roncar alto, sem sequer mover um músculo. A menina dormia feito uma pedra, e naquele momento nem se importava em parecer inconveniente ou bruta. Era seu descanso merecido, e ninguém poderia tirar isso dela.

Ruby deu uma risada de leve, ainda tomando cuidado para não acabar extrapolando e acordando sua amiga antes da hora.

— E pensar que logo você seria capaz de algo assim. Você é incrível, Sapphire. No fim das contas eu fiz uma boa escolha em embarcar com você nessa loucura.

Ele então se permitiu deitar um pouco, jogando os braços para trás do travesseiro e encarando o teto, como costumava fazer em sua cama antes de sair em jornada. Mas o olhar agora não era de tédio. Ruby estava perdido em devaneios. Em sua mente as ideias se embaralhavam com sonhos e a expectativa de descobrir o que o futuro lhes reservava.

A semana se passou. Depois de aproveitar a cidade, Ruby e Sapphire estavam prontos para seguir adiante com a jornada. Os dois se encontravam arrumando as coisas no quarto do Centro Pokémon, finalizando os últimos preparativos para poderem ir embora.

O garoto dobrava as roupas de cama com perfeição, enquanto a menina lia alguns folhetos deitada em sua cama enquanto comia um pacote de salgadinhos.

— Próximo destino, Lavaridge! — Sapphire tinha um sorriso vibrante em seu rosto. — Lá eu vou disputar minha quarta batalha de ginásio! Ruby, imagine só! Se eu vencer a líder de lá já vou ter metade das insígnias que preciso para me classificar pra Liga!

— Que história é essa de “próximo destino Lavaridge”? — o amigo já demonstrava aborrecimento. — Você não está se esquecendo de nada?

— Ah, claro! Verdanturf — a garota deu uma risada sem graça. — Foi mal, foi mal!

— A gente tem que tentar sempre manter a cabeça grudada no pescoço, Sapphire, mas pra sua sair rolando por aí falta muito pouco. E aposto que você não vai nem perceber.

— Claro que eu perceberia, bocó! Eu estaria vendo tudo girando!

— Francamente, você faz pouco caso da minha paciência...

Após o término da arrumação, os dois foram até a recepção para fazer o check out. Mauville agora ficaria para trás, apenas nas lembranças daqueles dias intensos que lá haviam vivido, mesmo que por pouco tempo.

Já arrumados e prontos para pegar a estrada, a dupla caminhava pela saída a oeste da cidade, com direção a Verdanturf, onde Ruby ia competir em um contest. Chegando nos limites da cidade, Zinnia os aguardava.

— Indo para Verdanturf?

Os dois se encararam com estranheza. Por mais óbvio que fosse que eles estavam se dirigindo à Verdanturf, ainda não sabiam o que esperar daquela abordagem de uma pessoa tão incomum quanto a draconid.

— Sim, por quê? — Ruby indagou.

— Vou acompanhar vocês até lá. Quero conversar com você — ela apontou para a menina. — Se me lembro bem o seu nome é Sapphire, não é?

— Sim, é isso mesmo — a mais nova respondeu. — Mas sobre o que você quer conversar comigo?

— Relaxa, vai ser tudo tranquilo. Apenas fiquei curiosa com você despertando a capacidade de interconexão tão cedo, e queria procurar alguma pista do que pode ter desencadeado isso em você tão cedo.

Após relutar um pouco, os dois concordaram em aceitar a companhia de Zinnia. A draconid sorriu triunfante, pois conseguiria obter informações que poderiam levá-la a descobrir algumas novidades de seu interesse.

Com os três então juntos, o caminho para Verdanturf começaria a ser desbravado a partir daquele dia. Ainda havia muitos lugares em Hoenn para explorar, e por isso depois da semana de descanso em Mauville a jornada tinha que continuar. Era só o início.

FIM DA OMEGA SAGA

  


{ 8 comments... read them below or Comment }

  1. Replies
    1. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

      FINALMENTE ACABOU! NEM TÔ ACREDITANDO!

      VEM, ALPHA SAGA! SÓ VEM!

      Delete
  2. E a primeira temporada do Aventuras em Hoenn está concluída! Seh loko, que emoção olhar aquela imagenzinha de próximo capítulo já azul, vem coisa boa aí. Cara, eu só percebi agora, mas é uma coincidência tão grande que de repente metade da Aliança esteja com planos que envolvam a Polícia Internacional, o Looker acabou de dar as caras em Johto, tenho planos para ele voltar em Sinnoh, ele e a Anabel seguem se desenvolvendo no plot principal e ontem o Haos perguntou como iam nossas ideias porque queria usar o Looker em Kalos! É, acho que eles são os verdadeiros guardiões da timeline kkkkkk

    Esse final me deixou chocado, juro que em momento algum me passou na cabeça ter a Zinnia como companheira de viagem, ela me pareceu tão distante durante a temporada toda que não encontrei nenhuma forma que fizesse sentido dela querer se aliar ao Ruby e Sapphire, mas a conversa sobre escutar o nome dos Pokémon encaixou tudo, ganhou até nome, "ouvir seu interior". Isso não responde completamente minhas dúvidas sobre o que a Zinnia busca (até porque não zerei os jogos, tudo que você está escrevendo sobre ela está sendo uma agradável surpresa para mim), eu gostei muito da forma como a Roxanne também a reconheceu e explicou um pouco ao leitor e aos protagonistas o que são os draconids, não é o tipo de informação que qualquer personagem saberia dar.

    Estou muito satisfeito com o fechamento do arco mano, Roxanne foi ótima e você a representou tão bem, gostei de ter ficado bem claro que os líderes estão se comunicando entre si sobre os treinadores em destaque, e até chegar ao último, seus nomes começarão a reverberar! É, muita coisa vai ser diferente na Alpha Saga daqui para frente, a Zinnia traz um novo fôlego ao grupo e me pergunto até onde onde eles vão se dar bem, sem contar o quanto poderão progredir como treinadores tendo um parceiro classe avançada Lvl 99 no time kkkkkkkkkk

    Parabéns por ter chegado até aqui uma segunda vez meu mano, tire o seu tempo de descanso e curta o resultado, você merece! Nem parece que o Prólogo saiu em 2016, e de lá para cá sua escrita foi se lapidando e seus personagens evoluíram com você. Terminar uma temporada é como um save point, e deve ser sempre comemorado. Agora é hora de trabalharmos naquelas ideias inusitadas que tem muita coisa boa pra acontecer!

    ReplyDelete
    Replies
    1. O Looker foi mais uma referência mesmo kkkkkkkk Quem atua na Polícia Internacional em Hoenn é a Anabel, mas eu quis buscar esse personagem misterioso pra ver se de repente ele ajuda nossa querida cérebro da fronteira a obter as respostas que precisa pra poder traçar os próximos planos de conter os Aquas e Magmas.

      Zinnia cedo ou tarde iria se juntar ao grupo. Eu só não tinha ideia de como fazer isso, porque como você mesmo disse ela era uma personagem muito distante dos principais, apesar de eu a considerar uma protagonista também, já que a história dela corre paralelamente à AEH. Mas essa questão da interconexão foi uma boa maneira de apresentá-la devidamente ao Ruby e à Sapphire depois daquele chega pra lá que ela deu nos dois e na Miriam na Caverna de Granito kkkkkkkkkk

      Roxanne é a líder de ginásio mais foda de Hoenn, vamos ser francos. Ela nem era minha preferida, mas é de fato a que toma as rédeas da situação e comanda tudo. Até mesmo o Steven confia nela a ponto de não se preocupar muito quando a Dama de Pedra está no controle da situação.

      Cheguei de novo! Agora estou de volta ao grupinho dos que terminaram a primeira temporada, um pouco maior do que da última vez que estive aqui, mas assim que é bom kkkkkkkkkk

      Agora eu quero me juntar ao grupo dos que terminaram duas temporadas! Vai demorar um pouquinho, mas qualquer dia eu tô por aí.

      Até a próxima! õ/

      Delete
  3. Nem acredito que a primeira temporada de Hoenn já chegou ao fim, Shadow! E o mérito é todo seu. Os meus sinceros parabéns!

    Neste ultimo capítulo tivemos uma reunião e conclusão mais pacíficas por parte de todos os personagens presentes nos últimos confrontos. Sapphire e Ruby voltam a ser a dupla protagonista,especialmente a treinadora, que chama a atenção de todos pelo forte laço que apresenta com os seus Pokémon. Na minha opinião, isso será um bom ponto de partida para explorar na próxima temporada. Estou muito curioso para ver o que sairá daí.

    Zinnia foi igualmente uma grande surpresa. Quero muito conhecer mais sobre ela, sua história e ver os seus Pokémon em ação. Dragon-Type ao poder!

    Os restantes elementos presentes foram também interessantes. Estou curioso para ver a continuação da relação entre Stevens, os Líderes de Ginásio e a Polícia Internacional, enquanto tentam combater e travar os planos da Team Magma e Team Aqua.

    Uma coisa que senti falta, no entanto, foi a participação de Miriam nesses últimos capítulos. Eu não acredito que fez isso comigo, Shadow! Espero que, pelo menos, ela dê as caras no começo da próxima temporada.

    Estou muito ansioso para os novos capítulos, companheiro! Vai com tudo!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Finalmente chegamos! Nem parece que a fic começou lá em 2016, porque foram tantos hiatos que a maioria dos capítulos foi de 2018 pra cá. Vou me esforçar para que a Alpha Saga leve menos tempo, prometo kkkkkkkkk

      A relação entre Sapphire e Dan é o ponto de partida para um conceito que vai ditar o ritmo de muita coisa na Alpha Saga. E já aviso: se ela conseguiu, também pode haver outros que conseguem.

      Zinnia será uma acompanhante interessante para a jornada deles no começo da próxima temporada. Ela é uma treinadora até mais experiente que a Miriam, então ela vai poder agregar muita coisa ao grupo. Sapphire e Ruby têm muito a ganhar com a presença da draconid.

      E falando na Miriam, ela teve sua participação um pouco reduzida ao sair do grupo principal, é verdade. Mas havia muitos personagens nesse fim da Omega Saga, e ela deixou o grupo recentemente, então o clima para ela voltar ainda não é muito bom. Mas é claro que teremos mais dela na Alpha Saga, e planejo desenvolvê-la bem melhor mesmo ela estando um pouco mais pra fora do plot principal. Ela terá ações nos bastidores que vão movimentar algumas engrenagens importantes na história também, então pra quem gosta da personagem saiba que ela não foi escanteada de maneira alguma!

      Valeu por ter acompanhado até aqui, parceiro! Poder contar com vocês aqui quando atingi uma marca tão significativa é muito importante.

      Que venha a próxima temporada! õ/

      Delete
  4. Fala, mano Shadow! Tudo bem?

    Cara, vim passar aqui após ler essa incrível temporada pra parabenizar você. Foi incrível e me prendeu do começo ao fim, sempre me perguntando como seria implementado 'x coisa' e como seriam resolvidos os problemas durante o caminho.

    Queria dizer que sua escrita e suas ideias sao encantadoras e incriveis demais. Os personagens tem muita vida e até mesmo acabei me apegando a alguns (Ruby perfeito que nunca errou).

    Enfim, aguardo ansiosamente pela sua próxima temporada e me tornarei um leitor mais presente!

    Um abraço ai e, mais uma vez, trabalho incrivel! \o

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fala Jamal! Tudo beleza?

      Mano, quase um mês pra finalmente vir responder seu comentário! Desculpa, cara! Eu realmente não costumo demorar tanto assim!

      Quando você veio me contar que tinha deixado um comentário aqui após maratonar a primeira temporada eu fiquei bastante surpreso. Não imaginava ver algum leitor novo aqui durante esse período de hiato do blog. Ainda que eu já esteja trabalhando no material para uma volta e criando uma reserva boa de capítulos pra me manter um bom tempo com postagens frequentes, achei que o movimento só voltaria mesmo após iniciar a nova temporada.

      Cara, nas minhas histórias passadas uma das minhas maiores dificuldades era justamente resolver pontas soltas. Não que eu não soubesse como iria resolver, eu simplesmente esquecia vários pontos da história que eram introduzidos. Muitas questões não resolvidas ficavam pelo caminho, e eu só fui perceber isso quando já não tinha mais tempo hábil para resolver tudo, deixando a história com vários furos de roteiro. Por conta disso nessa versão nova de Hoenn eu tenho tido atenção redobrada. Estou sempre revisitando os capítulos antigos não só para revisá-los, mas pra me certificar de que não deixei nada para trás. Inclusive vou aproveitar o meu tempo sem escrever no momento pra aproveitar e reler a história novamente. Assim eu consigo ver se não há nada escondido e ao mesmo tempo retomo o raciocínio.

      Coincidência ou não, esse ponto que você citou sobre os personagens terem vida também é algo que eu sempre tive um pouco de dificuldade. Sempre defini as personalidades deles antes de começar as histórias, mas nunca consegui dar atenção a essas características enquanto escrevia a história. Talvez por eu tentar ser objetivo demais eu acabo deixando de lado momentos mais simples que podem ressaltar alguma característica única de cada um. É outra coisa que eu tenho procurado ter mais atenção, e felizmente o feedback do pessoal tem sido positivo com relação a isso.

      Fico feliz que tenha gostado da primeira temporada a ponto de querer seguir lendo. A presença de todo mundo aqui foi um ponto determinante pra eu chegar ao fim de uma temporada completa, e vou me esforçar pra repetir o feito e terminar a segunda dessa vez (o que acabou não acontecendo da primeira vez).

      Também estou ansioso pra ver o que você tem pra colocar em prática de novidade lá em Alola, e como eu disse da outra vez qualquer coisa estou à disposição pra ajudar também!

      Valeu pela força! Até breve! õ/

      Delete

- Copyright © 2013 - 2018 Aventuras em Hoenn - Shadow - Powered by Blogger - Designed CanasOminous -